MPB no Feminino: Notas Sobre Relações de Gênero na Música Brasileira

Ref: 978-85-473-0610-6

O livro MPB no feminino problematiza a tendência de muitos autores em apresentar tudo o que diz respeito ao universo da música tão somente em formas de expressão do masculino. Frente à necessidade de compreender a dinâmica das relações de gênero nas diversas práticas musicais – desde o rock, o hip-hop, a música católica, o samba e o pagode até o canto das lavadeiras –, o autor examina as formas de inserção das mulheres nos diversos espaços e funções musicais; as causas de sua possível invisibilidade e/ou reduzida participação em determinados setores; as formas de resistência das mulheres diante das dificuldades encontradas por sua condição de gênero; as representações do feminino e do masculino nas convenções musicais; entre outros aspectos. 


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0610-6


Edição:


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 189


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Rodrigo Cantos Savelli Gomes.

O livro MPB no feminino problematiza a tendência de muitos autores em apresentar tudo o que diz respeito ao universo da música tão somente em formas de expressão do masculino. Frente à necessidade de compreender a dinâmica das relações de gênero nas diversas práticas musicais – desde o rock, o hip-hop, a música católica, o samba e o pagode até o canto das lavadeiras –, o autor examina as formas de inserção das mulheres nos diversos espaços e funções musicais; as causas de sua possível invisibilidade e/ou reduzida participação em determinados setores; as formas de resistência das mulheres diante das dificuldades encontradas por sua condição de gênero; as representações do feminino e do masculino nas convenções musicais; entre outros aspectos. Os caminhos percorridos na investigação apontam que as diferenças e especificidades entre homens e mulheres no meio musical precisam de um tratamento que passa não só pela presença física de seus corpos em cena, mas também pelos mitos, ritos, crenças, valores, espaços de circulação e meios de produção. Além disso, o livro mostra que reconhecer e delimitar interseccionalidades para além do gênero – como raça, classe, etnia, geração – é essencial na compreensão do universo social da música popular brasileira.