(Homo)Sexualidades e Foucault: Para o Cuidado de Si

Ref: 978-85-473-0195-8

(Homo) sexualidades e Foucault: para o cuidado de si investiga os discursos de verdade sobre a (homo) sexualidade a partir do referencial teórico metodológico de Michel Foucault. A obra apresenta as possibilidades da constituição da sexualidade como forma de manifestações de desejos, modos de vida e estética da existência, e, ainda, analisa o contraponto entre normalização e espaços de liberdades existentes nas práticas de si. Há uma busca em compreender, assim, os limites das práticas políticas pautadas pela afirmação de uma suposta identidade a ser reconhecida, universalizada, codificada e garantida pelos mecanismos de Estado.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0195-8


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 157


Peso: 200 gramas


Largura: 17 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Miguel Gomes Filho.

(Homo) sexualidades e Foucault: para o cuidado de si investiga os discursos de verdade sobre a (homo) sexualidade a partir do referencial teórico metodológico de Michel Foucault. A obra apresenta as possibilidades da constituição da sexualidade como forma de manifestações de desejos, modos de vida e estética da existência, e, ainda, analisa o contraponto entre normalização e espaços de liberdades existentes nas práticas de si. Há uma busca em compreender, assim, os limites das práticas políticas pautadas pela afirmação de uma suposta identidade a ser reconhecida, universalizada, codificada e garantida pelos mecanismos de Estado.

Este livro revela-se oportuno porque aprofunda a discussão a respeito das práticas de si e da criação de espaços de liberdades, como escolhas de um tempo irredutível do sujeito nas suas relações consigo mesmo, em que residem as condições de possibilidades para (re)criações de si a partir da resistência aos poderes normalizadores, característicos da sociedade disciplinar em crise.

Miguel, ao questionar sobre o padrão de subjetividade produzido pelos saberes e poderes, toma em suas mãos a análise crítica do mundo empreendida por Foucault, como uma tarefa filosófica, desconstrutiva, levando-nos a pensar na grande pergunta da atualidade: “quem somos nós?”.

Prof. Dr. Losandro Antonio Tedeschi

Coordenador da Cátedra UNESCO/UFGD “Diversidade Cultural, Gênero e Fronteiras”