A Doença como Manifestação da Vida

Ref: 4131872

A Doença como Manifestação da Vida: Georg Groddeck e um novo modelo de cuidado em saúde


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 0,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-206-5


Edição: 1


Data de publicação: 00/00/0000


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Lucas Nápoli dos Santos.

Atualmente a literatura científica do campo da saúde tem registrado algumas reflexões e apontamentos acerca da existência de uma possível crise da medicina na contemporaneidade. Não se trata, contudo, de uma discussão acerca da ineficiência de determinadas tecnologias médicas na prevenção e tratamentos dos problemas de saúde. O que estaria em crise, na verdade, seria a racionalidade biomédica, isto é, os pressupostos e fundamentos teóricos que têm guiado as práticas de cuidado em saúde desde o advento da medicina como disciplina científica no século XIX.

Essa crise se expressaria por impasses e limitações vivenciados no cotidiano do cuidado em saúde na atualidade, sobretudo nas intervenções em modalidades de adoecimento que parecem não se encaixar no modelo biomédico. De fato, um contingente enorme de pessoas que sofrem com sintomas que não conseguem definir com clareza ou que não são passíveis de verificação através de exames anátomo-fisiológicos amiúde não recebem um atendimento capaz de contemplar a especificidade de seu adoecimento, pois a racionalidade biomédica está centrada numa visão mecanicista e organicista da doença.

Georg Groddeck, médico e psicanalista que viveu entre o final do século XIX e início do século XX, diferentemente de seus pares, formulou um pensamento a respeito de temas como doença, saúde e tratamento que caminha numa via radicalmente oposta à do modelo biomédico.

Através do extraordinário conceito de Isso, que o autor utilizava para se referir ao indivíduo, Groddeck propõe uma concepção de doença como sendo uma expressão da vida, assim como o falar, o trabalhar, o pensar, etc. e não como um inimigo que se deve a todo custo extirpar. Toda enfermidade seria não apenas uma fonte de dor e sofrimento, mas também uma maneira de manifestarmos nossas angústias, conflitos subjetivos e posicionamentos diante da existência.

Essa visão da doença como sendo indissociável de nossas relações com a vida e nossa história individual é o eixo a partir do qual Groddeck propõe um ponto de vista fundamentalmente inovador acerca do cuidado em saúde, o qual é examinado com profundidade e rigor na obra que ora apresentamos.