Processo Interativo de Formação Docente: Uma Perspectiva Emancipatória na Constituição do Currículo Escolar

Ref: 978-85-473-1347-0

Processo interativo de formação docente: uma perspectiva emancipatória na constituição do currículo escolar apresenta um processo interativo de formação docente focado na reorganização do currículo escolar, com ênfase nos pressupostos do Educar pela Pesquisa. Discute uma proposta concreta de trabalho interdisciplinar efetivado em sala de aula de uma escola pública de educação básica.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1347-0


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 21/06/2018


Número de páginas: 303


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Eva Teresinha de Oliveira Boff.

Processo interativo de formação docente: uma perspectiva emancipatória na constituição do currículo escolar apresenta um processo interativo de formação docente focado na reorganização do currículo escolar, com ênfase nos pressupostos do Educar pela Pesquisa. Discute uma proposta concreta de trabalho interdisciplinar efetivado em sala de aula de uma escola pública de educação básica. O foco de estudo e pesquisa centrou-se na busca de compreensão, produção, planejamento e desenvolvimento, em sala de aula, da proposta de organização curricular denominada Situação de Estudo (SE). Diversos momentos, permeados pela reflexão e ação coletiva, em permanente diálogo problematizador, possibilitaram ricas interlocuções sobre as SE: “conhecendo o câncer – um caminho para a vida”; “ambiente e vida – o ser humano nesse contexto”; “drogas – seus efeitos e consequências no ser humano”. As características de múltiplas interfaces de interação, em assimetria, contribuíram para articular teoria e prática pedagógica, superar o distanciamento entre universidade e escolas básicas, constituir docentes e discentes mais críticos. A autoria compartilhada dos sujeitos envolvidos no processo mostra uma nova possibilidade do fazer cotidiano escolar na direção da produção de um currículo centrado no referencial histórico cultural, que visa à autonomia e à emancipação social.