Agricultura Familiar: Trabalho, Renda e Associativismo

Ref: 978-85-473-0096-8

A colonização do estado de Mato Grosso se desenvolve, principalmente, a partir da ditadura militar de 1964 na região, com metas de contemplar os grupos econômicos e trazer os marginalizados e despossuídos de outras partes do Brasil para esse espaço de estudo. Foi possibilitado, também, à classe trabalhadora migrar para esse novo ambiente de alongamento da mais recente fronteira do extrativismo vegetal e mineral e, ao mesmo tempo, da agropecuária das exportações.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0096-8


Edição: 1


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 177


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Nilso Francio.

2. Fiorelo Picoli.

3. Ivonete de Souza.

A colonização do estado de Mato Grosso se desenvolve, principalmente, a partir da ditadura militar de 1964 na região, com metas de contemplar os grupos econômicos e trazer os marginalizados e despossuídos de outras partes do Brasil para esse espaço de estudo. Foi possibilitado, também, à classe trabalhadora migrar para esse novo ambiente de alongamento da mais recente fronteira do extrativismo vegetal e mineral e, ao mesmo tempo, da agropecuária das exportações.

Agricultura familiar – trabalho, renda e associativismo consegue realizar uma abordagem crítica sobre o processo do avanço do capitalismo da mais recente fronteira da agropecuária no estado do Mato Grosso, por meio do agronegócio das monoculturas de mercado. O estudo foi realizado no assentamento dos pequenos agricultores da Gleba Mercedes em Sinop, e o autor procura desenvolver esse importante estudo local sobre o núcleo familiar, a produção, o histórico da vida dos assentados, a nova vida dentro do assentamento de Gleba Mercedes, as formas de associativismo e as dependências das instituições externas. Entretanto, o trabalho passa a dar ênfase aos fatores e às consequências que permeiam o associativismo, a solidariedade e a sustentabilidade no avanço migratório regional ali recente: com esse percurso das ideias, o autor passa a demonstrar, por meio de metas claras, como é possível realizar a integração por meio das relações fraternais dos colonos produtores do assentamento.

Professor Fiorelo Picoli