Arapuca Armada: A Educação na Trama das Contradições da Modernização Agrícola

Ref: 4439064

O livro nos faz compreender quais foram as reações dos diferentes agentes coletivos em relação ao processo de modernização agrícola do Sudoeste de Goiás.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-773-2


Edição: 1


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 289


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Cátia Regina Assis Almeida Leal.

Arapuca Armada: a educação na trama das contradições da modernização agrícola nos faz compreender quais foram as reações dos diferentes agentes coletivos em relação ao processo de modernização agrícola do Sudoeste de Goiás, ou seja, quem aderiu, quem tirou proveito, quem se rebelou contra ele, quem protestou, quem não se posicionou. Enfim, pensar nas diversas possibilidades de reação em relação a esse processo social, econômico, político, ambiental e cultural e se elas podem ser lidas como práticas educativas. 
Identifica, com os dados da pesquisa e com a leitura de Arantes, que as transformações econômicas não se medem apenas pelo aumento do número de tratores, pelo aumento da quantidade de grãos produzidos, nem pela expansão das edificações, mas também pela interferência nas representações sobre terra, trabalho e relações interpessoais. As pessoas perdem a sensibilidade em relação às coisas mais simples da vida no mundo rural. Nem se sabe mais se homens e mulheres se reconhecem como seres da mesma espécie, se estão vivos ou mortos. Dito por Arantes: "vítima na oferenda fatal concentra-se de corpo e alma com a estátua de sua vida a fumaça rejeitada pelo firmamento desce à terra amaldiçoada e refugia-se entre as margens da humanidade e em outros rincões os inhambus enxugam nos lenços de verdes brisas lágrimas de seus prantos pranto de exílio e de devastação"