As Raízes da Congada: A Renovação do Presente Pelos Filhos do Rosário

Ref: 3891037

Este livro é resultado de uma pesquisa antropológica sobre a congada que se realiza na região do Alto do Paranaíba, Minas Gerais, especialmente na cidade de Serra do Salitre.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-013-9


Edição: 1


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 239


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Patrícia Trindade Maranhão Costa.

Este livro é resultado de uma pesquisa antropológica sobre a congada que se realiza na região do Alto do Paranaíba, Minas Gerais, especialmente na cidade de Serra do Salitre. A pesquisa resultou na tese de doutorado As Raízes da Congada: A renovação do presente pelos Filhos do Rosário, defendida em setembro de 2006, no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade de Brasília (UnB). 

Da pesquisa de campo à elaboração do livro, contei com o apoio e incentivo de familiares, amigos e colegas, de modo que agradeço sinceramente ao Cristhian, pelo enorme carinho e companheirismo nos diferentes momentos desse processo.

Em boa hora torna-se acessível a um público mais amplo do que o restrito círculo de especialistas acadêmicos o trabalho de Patrícia Trindade Maranhão Costa, As raízes da Congada: a renovação do presente pelos filhos do Rosário. Baseado numa pesquisa de longa duração realizada em Serra do Salitre, Minas Gerais, o livro de Patrícia Trindade Maranhão Costa expõe as ricas urdiduras com as quais a parcela pobre e negra da população do interior mineiro elabora suas formas de sociabilidade, seu estar no mundo do presente, sua reconciliação com o passado de cativeiro e servidão e seus projetos de devir. Fazendo uma rica etnografia dos congados que enchem as ruas e praças de Serra do Salitre de cores e de sons durante os festejos de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, a autora argumenta que nos festejos, nas cantigas, nas estórias que circulam durante a preparação das celebrações e na própria organização dos ternos de congadas, os negros e pobres que fazem parte destes grupos reafirmam em ato a aparição redentora de Nossa Senhora do Rosário que, no passado mítico, suspendia e tornava possível a vida no cativeiro e que, no presente, contesta e cria um sentimento de positividade para a vida social do grupo de subalternos numa estrutura social caracterizada por formas rígidas de desigualdades sociais.

Além de representar uma notável contribuição aos estudos das tradições culturais das populações afro-descentes brasileiras, este livro é uma joia refinada dos estudos da cultura popular, revelando sua faceta contestadora e crítica, sua diversidade e sua natureza criativa.
Porém, num tempo em que reina nas ciências sociais, e na antropologia em especial, um viés interpretativo que frequentemente conduz à formas descuidadas e rápidas de superinterpretação, o trabalho de Patrícia Trindade Maranhão Costa, muito bem fundamentado numa sólida pesquisa etnográfica, é também uma importante contribuição a outras áreas de interesse. Entre outras, As raízes da congada esmiúça e revela os complexos contornos e as intricadas teias da cultura política dos pequenos municípios do interior mineiro, as tensões e formas de cooperação intergeracionais num contexto de intensa mudança, as relações entre cultura, religião e política e os princípios de organização social dessas irmandades voltadas para a solidariedade, reciprocidade e sociabilidade dos negros pobres do interior do Brasil.

Muito bem escrito, com uma riqueza impressionante de dados e uma sensibilidade analítica própria dos bons etnógrafos, a publicação de As Raízes da congada tornará acessível um texto que tem tudo para se tornar uma leitura obrigatória aos interessados no estudo da cultura popular brasileira, das tradições culturais das populações afro-descententes, das relações entre cultura e política, e da antropologia dos rituais e das festas.

Prefácio escrito pelo Professor Doutor Wilson Trajano Filho, Universidade de Brasília (UnB).