Cicatrizes que Não se Apagam: Memórias Afetivas e Transplante de Órgãos

Ref: 978-85-473-0719-6

O transplante de órgãos é um procedimento complexo, que exige um olhar multiprofissional e perpassa por todas as dimensões da vida de uma pessoa e de sua família. Convoca o paciente, desde o diagnóstico do adoecimento e o tratamento até a reabilitação, a (res)significar sua trajetória de vida para se adaptar a todas as mudanças impostas por esse contexto. Também aos profissionais da equipe transplantadora inúmeras perguntas seguem junto a esse processo.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0719-6


Edição: 1


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 129


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Dnyelle Souza Silva.

O transplante de órgãos é um procedimento complexo, que exige um olhar multiprofissional e perpassa por todas as dimensões da vida de uma pessoa e de sua família. Convoca o paciente, desde o diagnóstico do adoecimento e o tratamento até a reabilitação, a (res)significar sua trajetória de vida para se adaptar a todas as mudanças impostas por esse contexto. Também aos profissionais da equipe transplantadora inúmeras perguntas seguem junto a esse processo.  A atuação do psicólogo hospitalar em centros de transplantes evidencia a necessidade do apoio psicológico nesse contexto, principalmente considerando questões afetivas associadas ao processo de saúde-doença. Alguns questionamentos prevalecem a respeito de qual o melhor momento para intervir junto ao paciente transplantado: seria no pré-transplante, com o objetivo de prever riscos? Seria no pós-transplante, para acolher demandas?

Este livro tem como objetivo apresentar considerações sobre a vivência do paciente e como o profissional de psicologia inserido na equipe de transplantes pode construir um espaço para que essa experiência, que não termina com o transplante, seja acolhida no momento em que é simbolizada pelo paciente. Esse é o início de um longo debate sobre a trajetória de incertezas que expõem limites e possibilidades de um processo complexo e existencial: a vida e o transplante de órgãos.

Uma leitura indispensável para profissionais de saúde que atuam com doenças crônicas e compreendem que o corpo representa um todo complexo e dinâmico e que suas decisões implicam diretamente na possibilidade de dar sentido a narrativas de histórias de vidas e morte nesse contexto.