08/02/2021

Carnaval: a festa do povo

Tags: BLOG

08/02/2021 - Por: Elilde Browning

Ouço as batidas de um tambor com um som desconcertante anunciando que neste ano não teremos em fevereiro a maior festa do povo ­– o carnaval.

 Ficaremos tristes de nos privarmos do maior espetáculo da terra e daquela empolgação que nos fazia esquecer de todos os problemas do nosso cotidiano. Lembro-me dos carnavais da minha infância e adolescência: as mulheres vestiam roupas masculinas e os homens roupas femininas para o desfile de blocos pelas ruas.  Todos usavam máscaras para esconder o rosto e a identidade, aproximavam-se de nós e perguntavam: você me conhece? Era divertido!

Em cada bairro havia blocos com características diferentes, todos tinham a mesma alegria e entusiasmo cantando músicas acompanhadas de pandeiros, tamborins e outros instrumentos musicais. As músicas não tinham idade. Todas eram tocadas e cantadas num entusiasmo ímpar. Arte e inspiração não envelhecem, elas refletem o sentimento de um povo em épocas diferentes.

Os grandes bailes nos clubes eram um espetáculo de luxo e glamour, famosos e anônimos se juntavam para desfrutar momentos de descontração e bem-estar: fantasias exóticas, sensuais e de rara beleza tornavam esses acontecimentos memoráveis. E, ainda, as fantasias premiadas que nos faziam admirar a criatividade dessas confecções majestosas.

Com o passar dos anos essa festa popular se agigantou a proporções inacreditáveis de grande indústria, na qual milhares de pessoas trabalham durante todo o ano na confecção de adereços e fantasias para os desfiles das escolas de samba. O que teria acontecido a esses trabalhadores em 2020? Certamente, sentiram-se frustrados com o adiamento desse acontecimento. Será que em outra data teremos a mesma atmosfera de encantamento que é comum no verão ou, decididamente, o Coronavírus impedirá que essa festa se realize neste ano? Para os que não gostam de carnaval, certamente, sentir-se-ão aliviados por não terem que vivenciar esse evento.

É inacreditável pensar que o Coronavírus, ou Covid-19, deixou o mundo perplexo com tamanhos estragos em nossas vidas. Já matou um milhão de pessoas em todo o mundo e, ainda, modificou hábitos e comportamentos. A cada dia, cresce o número de mortos e contaminados. A vacina chegou com a esperança de sermos imunizados e a ciência corre contra o tempo para que a humanidade não seja dizimada.

Assim como tantas outras catástrofes que nos acometeram, certamente, essa também terá fim. Mas enquanto esse monstro poderoso e invisível não desaparecer, ainda teremos muitos contratempos de terror e sobressaltos. Urge seguir as recomendações propostas para atenuar esse mal que surgiu no mundo sem ser convidado, e que insiste em estar entre nós em um desafio sem precedentes.

Vamos ser conscientes e responsáveis com nossas vidas e dos demais, e passar este carnaval em casa com segurança. Esperemos que a vida volte à normalidade para desfrutarmos de um viver tranquilo em uma expectativa de equilíbrio emocional que todos precisamos.


Elilde Browning: Autora dos livros E assim foi a vida, com uma versão em inglês, Paths of life, e Crônicas de um tempo infinito e Voltando a viver, a ser publicado em janeiro de 2021.  Colunista do jornal Noroeste News, de Caraguatuba-SP.