26/04/2021

Como fabricar bons “humanos”

Tags: BLOG

26/04/2021 -  Ascêncio Franco dos Santos

Fico preocupado com os modos de constituição do sujeito, e também estou atento aos processos que atravessam nossos corpos na atualidade, constituindo-nos e construindo nossas preferências, nossos desejos, nossos prazeres, nossos gostos etc. As dimensões desses procedimentos dos dispositivos são multidimensionais, ou melhor, são forças, fluxos, fluidos, movimentos criativos ao infinito. O foco? Nossa existência!

As condições históricas estão postas. Há uma onda conservadora instalada na sociedade. Um sentimento de horror e ódio. Um ódio mortal contra: crianças e adolescentes, em especial, negros e mestiços com uma condição social e econômica bem determinada (pobres). Sujeitos localizáveis no tropo social de nossas cidades.

Há muito se bradava pela leniência dos dispositivos de lei, em especial o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Basta assistir aos telejornais nacionais que essa poluição verborrágica invade nossos lares. Que horror! Não vou citar os nomes dos periódicos para não lhes dar voz. Antes de tudo, convido você, que de repente não irá simpatizar com meu discurso, a conhecer os espaços onde crianças e adolescentes são confinados, trancafiados e, claro assim, dizemos educados ou reeducados.

Visitem as escolas municipais dos bairros afastados dos centros urbanos e conheçam também as estruturas das escolas do Estado, o ambiente, as cores das paredes, o pátio que abriga as crianças e adolescentes nos intervalos das aulas. Melhor! Vá até os bairros pobres e passe pelo menos um dia com uma família carente, em que os pais estão desempregados. Isso é apenas um convite. Se seu estômago não suporta certas coisas, não vá, continue como uma toupeira no seu “lar” doce lar.

Melhor, meu caro “cidadão/leitor”, convido você a conhecer uma instituição de enclausuramento por excelência, o sistema socioeducativo de sua cidade, ou a cadeia. É nessa instituição que “ensinamos” adolescentes a tratarem de seres humanos. Veja como se trata o ser humano. Lembro com discrição que o conceito “humano” foi inventado no século XVIII, pela utopia burguesa de que: a razão e a ciência levariam a humanidade ao progresso e à felicidade.

Acesse a obra do autor por meio deste link.  


 

Ascêncio Franco dos Santos possui graduação em Licenciatura Plena Em História pela Universidade do Estado de Mato Grosso (1997). Atualmente é coordenador do projeto parceladas de história da Universidade do Estado de Mato Grosso, professor do centro de línguas da Universidade do Estado de Mato Grosso, intérprete - Justiça Federal de Mato Grosso, professor - E.E.S.I e II Graus Prof.Milton Marques Curvo e professor interino da Universidade do Estado de Mato Grosso. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Latino-Americana; atuando principalmente nos seguintes temas: espanhol e interação oral. Pós Graduação em Linguística Aplicada: Especialização em Ensino e Aprendizagem de Língua Estrangeira voltada para o Ensino da Lingua Espanhola; Pós Graduação em História e Metodologia do Ensino e da Pesquisa da História: Memórias e Identidades na Historiografia Brasileira pela Universiadade do Estado de Mato Grosso. Professor de Didática do Ensino de História I e II; Estágio Supervisionado do Ensino de História I nos anos de 2009 e 2010 na Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT, Departamento de História.