02/04/2019

A Importância da Evolução Tecnológica e a Inovação nos Últimos Cinquenta Anos

Tags: BLOG

02/04/2019 - Por: Milton Gomes Pacheco

 

Há cinquenta anos, quem poderia imaginar como seria a evolução tecnológica? Os diversos segmentos da sociedade foram impactados por mudanças nos meios de produção, de prestação de serviços e na comercialização de produtos. Na década de 1970, a crise do petróleo provocou grandes desajustes em toda a economia no mundo.
Em apenas cinco meses, entre outubro de 1973 e março de 1974, o preço do petróleo aumentou 400%, causando reflexos poderosos nos Estados Unidos e na Europa e desestabilizando a economia por todo o mundo.

Vários segmentos foram altamente influenciados pelas mudanças, mas em suas inovações, sete se destacaram:

A telefonia teve um papel significativo com o patenteamento por Alexander Graham Bell, em 1876, mas a grande evolução da telefonia foi nos últimos 30 anos, com surgimento do celular. No Brasil completou 28 anos, dia 30 de dezembro de 2018.

A invenção da roda, seguindo alguns registros, surgiu na Ásia, há cerca de 6000 anos. Durante sua evolução, as rodas com raios foram utilizadas na Pérsia, 2000 anos antes de Cristo. Apesar de as rodas de alumínio e magnésio terem predominado na década de 1960, o “estado da arte” em rodas utiliza atualmente rodas de fibra de carbono, adotadas pela indústria aeronáutica e automobilística.

O Motor à Combustão foi inventado pelo um engenheiro alemão que construiu o primeiro motor de combustão interna de quatro tempos e determinou o ciclo teórico sob o qual trabalha o motor de explosão (1876). A celebração dos 50 anos da primeira aplicação de turbo em um carro leve mostra a evolução da tecnologia desde então. De acordo com as experiências, a avaliação apresentou que a turbo-alimentação contribuiu para a redução do consumo de combustível e de emissões de gases em mais de 60%, se comparados com os números dos motores aspirados produzidos na década de 60. Os veículos elétricos terão papel importante nos próximos anos, mas é prematuro pensar na substituição dos motores à combustão, porque existe uma longa distância, especialmente nos países emergentes.

A invenção da lâmpada incandescente foi realizada por Thomas Edison há 135 anos. A primeira descoberta do gênero havia sido registrada em 1802. O objetivo foi substituir o gás, principal meio de iluminação no fim do século XVII. A lâmpada fluorescente, criada por Nikola Tesla, é um tipo de lâmpada que foi introduzida no mercado consumidor em 1938. A lâmpada LED surgiu em 1962, criada na General Eletric, pelo engenheiro Nick Holoniak Jr. Inicialmente, existia apenas a cor vermelha, mas, poucos anos depois, surgiram também as lâmpadas LED em amarelo e verde. Em junho de 2016 esgotou-se o prazo para a retirada do comércio das lâmpadas incandescentes, naturalmente, substituída pelas lâmpadas LED.

O avião começou seu surgimento com Santos Dumont, com seu 14-Bis em 23 de outubro de 1906. Depois de um longo período de mudanças e melhorias, a Boeing lançou o Boeing 707 em 1958, o primeiro avião a jato de passageiros de sucesso. Nos Estados Unidos, entravam em serviço em 1960 os jatos Boeing 720 e 707 e dois anos depois o Douglas DC-8 e o Convair 880. Em seguida apareceram os aviões turboélices, mais econômicos e de grande potência. Soviéticos, ingleses, franceses e norte-americanos passaram a estudar a construção de aviões comerciais cada vez maiores, para centenas de passageiros e a dos chamados “supersônicos”, a velocidades duas ou três vezes maiores que a do som. No final da década de 60 e início da década de 70 surgiram modelos capazes de transportar até 400 passageiros, como o Boeing 747, o Douglas DC-10, o Lockheed Tristar L-1011. Em 1965 surge o Concorde, o primeiro avião comercial com a utilização do jato supersônico para passageiros. Nos dias atuais os aviões comerciais que dominam o espaço aéreo são: Airbus A380 e o Boeing 777 e 787.

Os computadores durante a Segunda Grande Guerra Mundial encontraram período fértil em seu desenvolvimento. O IBM 7030, também conhecido por Strech, foi o primeiro supercomputador lançado na segunda geração. A terceira geração é o IBM 360/91, lançado em 1967. A quarta geração é conhecida pelo advento dos microprocessadores e computadores pessoais. A Intel lançou várias versões de Windows. Entre os modelos da Intel, pode-se citar: 8086, 286, 386, 486, Pentium, Pentium 2, Pentium 3, Pentium 4, Core 2 Duo e i7. Todos esses processadores vieram revolucionar a microinformática.

A internet começou em 1969, no qual nasceu o que seria um dos grandes marcos descobertos pelo homem no último século. Hoje em dia, não é possível imaginar-nos sem os serviços disponibilizados pela internet, porém no início o objeto era de longe sua utilização para sites e entretenimentos. A partir dos anos 2000 começou a grande novidade da web com a facilidade da aquisição de computadores e com a internet para o público em geral, assim, a tecnologia foi evoluindo e tendo grandes avanços significativos. A internet discada foi substituída pela banda larga e conexão por meio do celular, com a criação da rede 3G (e hoje a criação da rede 4G). Atualmente a internet virou uma necessidade diária tanto para o uso empresarial, quanto para o uso doméstico.

Com o exemplo das sete inovações que foram citadas como destaque, compreende-se que houve uma grande evolução das tecnologias, sustentadas nas estratégias das manufaturas. Naturalmente, o progresso para os meios de produção em melhorias tecnológicas exigiram grandes somas de recursos financeiros e materiais.

Não só de tecnologia e inovações vive o cidadão no seu dia a dia, quando ele está estudando, trabalhando, viajando, descansando etc., elas podem estar presentes, mas poderia imaginar que ele poderia não depender delas. Considerando que as sete inovações tivessem ficadas estagnadas durante os últimos cinquenta anos, todos seriam grandemente impactados. Então, mesmo que não haja uma dependência direta, tudo que mudou nos últimos cinquenta anos trouxe grandes benefícios a todos.

A estratégia de manufatura aliada a gestão sistêmica de custos, contribuiu de forma decisiva para a evolução apresentada nos seis capítulos do livro Gestão Sistêmica de Custos e Estratégia de Manufatura.

Para conhecer mais sobre o tema, leia a obra Gestão Sistêmica de Custos e Estratégia de Manufatura, de Milton Gomes Pacheco.


Milton Gomes Pacheco é Professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, membro do CEPE-Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão e Ouvidor do CCT- Centro de Ciências e Tecnologia; doutor em Engenharia de Produção/UNIMEP; mestre em Ciências Contábeis e Atuariais/PUCSP; especialista em Administração Financeira/FACESP e graduado em Administração e Ciências Contábeis/MCKENZIE.