04/06/2021

Adolescência: entre o desafios e possibilidades

Tags: BLOG

04/06/2021 -  Milena Aragão.

        A adolescência, atravessada pela cultura, a qual tem forte influência sobre a forma como os adolescentes serão cuidados e educados, é um período marcado por transformações biológicas e comportamentais.
Trata-se de uma transição da infância para a vida adulta, em que prevalece a busca pela identidade. Desse modo, o adolescente observa o mundo em “caixas”, procurando em qual irá se inserir. Os processos identitários são uma das grandes buscas dessa etapa da vida, os quais são traduzidos nas perguntas: quem sou eu? O que esperam de mim?


Como o adolescente ainda não construiu uma imagem de si que o deixe confortável, ele vai experimentando. É como comprar roupa em loja de departamento: ele olha os modelos, pega uma, acha que vai ficar boa e experimenta. Não basta caber, precisa ser apresentável dentro do grupo social! Ele busca aceitação, o que ocorre pela exclusão de outras possibilidades, isto é, da diferença.


Dessa forma, é comum ele não saber realmente o que quer! Todavia, nem por isso os pais devem escolher tudo por ele! Afinal, como alguém vai se conhecer, se não tem a oportunidade de se olhar, se escutar, errar e acertar, tampouco possui um canal de comunicação aberto para sanar as dúvidas que existem?


A adolescência é uma fase que nos convida a uma abertura maior para o diálogo e a compreensão, bem como para o autoconhecimento. Contudo, alcançar essa conexão exige uma rede de apoio que vai além das vivências e experiências de pais e docentes, é preciso compreender o desenvolvimento adolescente.
Compreender esse processo é importante para que não criemos expectativas irreais sobre o comportamento deles e possamos atuar de maneira mais respeitosa, colaborando positivamente para que as mudanças sejam vividas da melhor forma possível, isto é, construindo uma cultura capaz de apoiá-los. Muitas vezes, há tantos “barulhos” no exterior (preocupações com trabalho, relacionamento conjugal, contas, vida pessoal...) que não paramos para ouvir os adolescentes, ouvir seus sentimentos e suas necessidades.


Mas como podemos agir de modo a construir conexões com os jovens e educá-los de forma respeitosa? Há dois caminhos que colaboram sobremaneira para o alcance desses objetivos: a Comunicação não Violenta e a Disciplina Positiva, as quais nos fornecem reflexões e ferramentas que colaboram para edificar uma relação realmente saudável com os adolescentes.


Para saber mais sobre essa fase tão rica da vida, sob o ponto de vista da psicologia e da neurociência, bem como construir uma relação fundamentada no respeito, com base na Comunicação não Violenta e na Disciplina positiva, sugiro a leitura da obra: O livro da empatia: caminhos para compreender e lidar com a adolescência.

 


 

 

 


Milena Aragão: Psicóloga, escritora, doutora e mestre em Educação. Atua como psicóloga clínica e Docente no ensino superior. Ministrante de workshops e palestras na interface Psicologia/Educação/Cultura de Paz. Autora de dezenas de artigos científicos, textos em jornais e revistas, além das obras: Castigos Escolares: conversando com professores (Editora Appris); Um pouco mãe, um pouco professora: conversas sobre a mulher na docência (Editora CRV) e O Livro da Empatia: caminhos para lidar com a adolescência (Editora Appris). Contato: @psi.milenaaragao (Instagram) ou https://milenaaragao.webnode.com/