25/08/2021

A literatura ainda é, sem dúvida, o melhor caminho para oconhecimento

Tags: BLOG

25/08/2021 - Por: Andrea Diniz

A literatura é mágica e faz com que aprendamos algo e desenvolvamos o lado crítico e argumentativo. Seja conto ou história, nela sempre há um aprendizado válido e significativo para nossas vidas.

Nos dias de hoje, o ponto crucial é estimular os lados argumentativo e interpretativo em nossos jovens, e esses pontos vêm do contexto literário trabalhado em sala de aula pelo docente.

E como começar o trabalho com o livro em sala de aula?


Além da leitura de um determinado livro, o professor pode expor os principais pontos, propondo olhares pertinentes para fazer o aluno pensar, questionar e solucionar algum problema em que o docente será o transmissor e condutor desse questionamento, e cabe ao discente ler, pesquisar, fomentar ideias e se questionar sobre o problema.

Isso envolve a literatura e a descoberta da resposta pelo próprio aluno, provando mais uma vez a importância da leitura e como é gostosa essa descoberta, seja no campo científico, literário ou em outro assunto. A literatura e o ato de ler devem ser sempre presentes na vida do educando.

O professor, no papel de facilitador de ética e conhecimento, está trabalhando a metodologia de colocar oaluno como autor da sua criação, com leitura, pesquisa e engajamento tecnológico, tão importantes nos dias de hoje, ainda mais com a questão lamentável da Covid-19, que acabou requerendo mais rapidez em conhecer as ferramentas virtuais. Tanto professores quanto alunos têm esse desafio e, mediante isso, o professor pode unir esses novos adventos com a literatura, bem como com a interdisciplinaridade e a tecnologia.

O trabalho literário em sala gera os conhecimentos científico, social, emocional/psicológico, histórico, entre outros.

É com todos esses elementos citados desde o início deste texto que é perceptível a importância da leitura/literatura e de esta ser trabalhada dentro da sala de aula de forma dinâmica e lúdica, em que o aluno aprenda “brincando”, contudo é uma brincadeira transmissora de grande carga de conhecimento intelectual para a vida profissional e pessoal e, acima de tudo, uma gigantesca abertura para o conhecimento tecnológico.

Não esqueçamos também que a questão socioemocional impera nos dias de hoje em termos de empatia, resiliência, sinergia etc. E isso também está arraigado dentro de nossos grandes e eternos mestres, que são os livros, que fazem com que nunca percamos a sabedoria eterna. Os bens materiais podemos perder, masoaprendizado não. Essa maior riqueza está conectada e fincada em nosso cérebro, na nossa parte cognitiva cerebral, que é o eterno conhecimento e o conhecimento de conhecer o “desconhecido”, que se dá por meio do prazer de degustar a leitura de um livro.

Acesse a obra da autora neste link


A escritora Andrea Di Matteu Diniz, autora do livro "Meu amigo lixo e um beijo no planeta", cursou Letras na Universidade Metodista de São Paulo e atualmente trabalha com alunos do ensino médio e técnico na ETEC Jorge Street. 

A paixão por ecologia sempre ficou visível em suas aulas, procurando reforçar com os discentes as questões ambientais. A autora entende o papel fundamental de um professor ao levar para a escola e para a comunidade o que é a educação ambiental e qual a importância dela para que cada um de nós nos tornemos “protagonistas” de nossas vidas, na função de multiplicadores, enaltecendo a sustentabilidade e todo o processo que a envolve. Segundo a professora Andrea, esses são pontos emergenciais e de extrema importância para o novo século e para os que estão por vir. 

Devemos criar e conscientizar os nossos jovens do respeito que eles devem ter com o meio ambiente e de que eles precisam dele.