Formação de Professores: Dilemas e Desafios da Relação Teoria e Prática

Ref: 4191398

Este trabalho discute como a questão da relação teoria e prática é formulada nas abordagens contemporâneas de formação de professores.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 56,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978.85.8192-254-6


Edição:


Ano da edição: 2013


Data de publicação: 00/00/0000


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 17 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Luelí Nogueira Duarte e Silva.

Este trabalho discute como a questão da relação teoria e prática é formulada nas abordagens contemporâneas de formação de professores que defendem a pesquisa como princípio educativo e formativo na formação e na prática do professor, particularmente a pesquisa-ação realizada pelo próprio professor sobre sua prática educativa, contando ou não com a colaboração de especialistas da universidade. Parte-se do suposto que a concepção da relação teoria e prática que vem sendo formulada nessas abordagens de formação se sustenta em uma dupla perspectiva: inicialmente separa e depois tenta identificar ou articular essas instâncias. Com base na Teoria Crítica da Escola de Frankfurt, sobretudo em Adorno e Horkheimer, entende-se que a relação que se estabelece entre teoria e prática é de contradição. Portanto, não haveria entre esas instâncias identidade, tampouco mera continuidade ou simples articulação. Este estudo teórico selecionou as abordagens de formação centrada na pesquisa que contemplam, em particular, a perspectiva prática e a perspectiva crítica. Foram selecionados os autores estrangeiros mais citados e apropriados pelos pesquisadores brasileiros, como Dewey, Schwab, Stenhouse, Elliott, Schön, Zeichner e Carr e Kemmis. Buscou-se, no estudo desses autores, uma compreensão das ideias e dos conceitos sobre ensino, pesquisa, currículo, professor e relação entre teoria e prática. Concluiu-se que as implicações dessa concepção de dupla perspectiva da relação teoria e prática nas abordagens de formação centrada na pesquisa representam, por um lado, o risco de um praticismo na educação, ou a prevalência da prática sobre a teoria. Por outro lado, há o risco de uma teoria instrumentalizada, ora orientada para solucionar problemas educacionais, ora para guiar ou informar a ação docente. Em ambos os casos, existem implicações educacionais que concorrem para a manutenção e o reforço da racionalidade técnica e cientificista da educação.