Gestão dos Resíduos Sólidos: Conceitos e Perspectivas de Atuação

Ref: 978-85-473-1070-7

O livro Gestão dos resíduos sólidos: conceitos e perspectivas de atuação reflete sobre a gestão dos serviços de resíduos sólidos no Brasil. Existe uma lacuna sobre o tema relacionada à gestão dos serviços de resíduos sólidos na literatura brasileira. O livro chega para ajudar os leitores a compreender a problemática da poluição ocasionada pelo manejo inadequado dos resíduos pelo Estado, organizações e também pela sociedade.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 21,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1070-7


ISBN Digital: 978-85-473-1071-4


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 03/05/2018


Número de páginas: 223


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Cristina Maria Dacach Fernandez Marchi.

O livro Gestão dos resíduos sólidos: conceitos e perspectivas de atuação reflete sobre a gestão dos serviços de resíduos sólidos no Brasil.

Existe uma lacuna sobre o tema relacionada à gestão dos serviços de resíduos sólidos na literatura brasileira. O livro chega para ajudar os leitores a compreender a problemática da poluição ocasionada pelo manejo inadequado dos resíduos pelo Estado, organizações e também pela sociedade.

O tema é abordado de forma didática e prática, por especialistas com notória expertise. O livro busca auxiliar a aproximação com alguns conceitos e perspectivas sobre o manejo dos resíduos sólidos ligados à gestão municipal, à saúde, à construção civil, aos resíduos orgânicos e à educação não formal, especificamente no trato com empreendimentos ligados às cooperativas de catadores de materiais recicláveis e com o ecossistema manguezal. Todos esses temas estão fundamentados pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Lei nº 12.305/2010.

A reflexão sobre o descarte irregular e a disposição final inapropriada do “lixo” é extremamente importante, já que afeta a vida das pessoas nos centros urbanos. A estimativa populacional do IBGE para 2017 revela que aproximadamente 68% dos 5.570 municípios brasileiros possuem até 20 mil habitantes. A carência de linhas de financiamento para o setor de saneamento básico, por dificuldades financeiras, pelo despreparo para a gestão, pela deficiência de informações e de treinamento de servidores municipais e, finalmente, pela ausência de comportamento socialmente responsável das organizações e da população são alguns dos problemas marcadamente trazidos para essa discussão, que atinge toda a sociedade brasileira.