Gramsci e Pareto: Ciência, História e Revolução

Ref: 978-85-473-0695-3

“Tudo deve mudar para que tudo fique como está”. A célebre frase do romance Il Gattopardo, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa, sintetiza o problema de fundo da reflexão deste livro: a coexistência histórica da mudança e da conservação social, ou, em outros termos, a “persistência do passado”, a revolução sem revolução.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 57,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0695-3


Edição:


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 269


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Luciana Aliaga.

“Tudo deve mudar para que tudo fique como está”. A célebre frase do romance Il Gattopardo, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa, sintetiza o problema de fundo da reflexão deste livro: a coexistência histórica da mudança e da conservação social, ou, em outros termos, a “persistência do passado”, a revolução sem revolução. O interesse principal consiste em explicar como duas diferentes (ou mesmo opostas) correntes da “ciência política” – o marxismo de Antonio Gramsci e o elitismo de Vilfredo Pareto – explicam essa “persistência do passado” na realidade nacional italiana, isto é, como ambos explicam as mudanças conservadoras na Itália da passagem do século XIX para o XX. O objetivo central, contudo, não são as especificidades históricas italianas, mas as capacidades explicativas – no presente – dos conceitos formulados a partir daquela realidade nacional.

Num momento em que diferentes fascismos nacionais insinuam retomar o fôlego histórico, trazer de volta Gramsci e Pareto para o debate das ciências sociais é muito mais do que um simples exercício acadêmico. Apesar de voltar-se para o início do século XX, este livro nos força a refletir sobre a grande encruzilhada histórica do século XXI. Por isso, ele deve ser lido, debatido e estudado.”

 

Ruy Braga

Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo (USP)