Identidade e Cultura dos Povos do Campo no Brasil

Ref: 978-85-473-0113-2

Entre Preconceitos e Resistências, Qual o Papel da Educação?


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 57,00 R$ 34,20 40% off
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0113-2


Edição:


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 206


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Raquel Alves de Carvalho.

A obra de Raquel Alves de Carvalho traz ao leitor uma reflexão acerca da construção da identidade e da cultura camponesa no Brasil a partir de imagens e discursos veiculados ao final do século XIX até meados do século XX – período em que o Brasil era pensado de forma dividida, entre sertão e litoral, sendo que o sertão e seu povo deveriam ser incorporados ao litoral para se tornarem modernos e progressistas.

Para compreender como o processo de desqualificação vai ocorrendo, a autora analisa os discursos professados por alguns dos mais consagrados escritores nacionais dessa época, como Monteiro Lobato, Olavo Bilac e, em especial, Euclides da Cunha. Em um segundo momento, busca reconhecer nos discursos atuais os enunciados de tais escritores do sertão e, para tanto, analisa a presença ou ausência do sertão/campo e dos sertanejos/povos do campo nos livros didáticos, questionando qual a concepção sobre esse tema presente atualmente na escola.

Este livro oferece elementos para reflexão sobre o papel desempenhado pela educação na perpetuação de preconceitos ou na tentativa de modificações e enfatiza que educar para a diversidade não significa apenas reconhecer o outro como diferente, mas refletir sobre as relações e a garantia dos direitos de todos, bem como a valorização das singularidades. A escola é o espaço sociocultural em que as diferentes identidades se encontram e se constituem, caracterizando-se, portanto, como um dos espaços mais importantes para se educar com vias ao respeito às diferenças, sobretudo não as transformando em desigualdades. Tanto o público das áreas das ciências humanas e sociais, os profissionais da educação, os povos do campo como quem nutre interesse por essa temática têm aqui uma excelente oportunidade de conhecer esse processo de construção da identidade e cultura camponesa e suas implicações atuais.