LO-FI: Música Pop em Baixa Definição

Ref: 978-85-473-0231-3

Em LO-FI: música pop em baixa definição, Marcelo B. Conter nos propõe outras “sonoridades” de pesquisa para a investigação dos fenômenos que se friccionam entre a comunicação e a cultura/música pop, tanto pelo modo como organiza os conceitos quanto nos modos como suas imagens sonoras são apresentadas ao longo dos capítulos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 22,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0231-3


ISBN Digital: 978-85-473-0231-3


Edição:


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 321


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Marcelo Bergamin Conter.

Doutor e mestre em Comunicação e Informação pela UFRGS, com estágio de doutorado sanduíche pela Columbia University, Nova Iorque, e pós-doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Autor dos livros Imagem-música em vídeos para web (Editora Kazuá, 2012) e LO-FI - Música pop em baixa definição (Editora Appris, 2016). Professor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul.

Em LO-FI: música pop em baixa definição, Marcelo B. Conter nos propõe outras “sonoridades” de pesquisa para a investigação dos fenômenos que se friccionam entre a comunicação e a cultura/música pop, tanto pelo modo como organiza os conceitos quanto nos modos como suas imagens sonoras são apresentadas ao longo dos capítulos. Ao ressignificar a ideia de lo-fi para além de um uso de equipamentos e instrumentos musicais deteriorados ou obsoletos, para construir ao redor dele um conjunto de práticas, linguagens, políticas, estéticas e discursos, Conter convida o leitor a percorrer um mapa tão inusitado quanto didático, colocando sua máquina abstrata LO-FI a apontar “o processo de variação contínua pelo qual a música pop é arrebatada pela baixa definição sonora”, como ele mesmo diz. Àquele interessado em encontrar propostas de articulação entre conceitos tratados contemporaneamente nos estudos de Comunicação voltados para a investigação das materialidades, o autor oferece harmonizações consistentes. Para o entusiasmado pelos músicos, bandas, instrumentos, canções, aparelhagens, gravadoras e indústrias fonográficas, Conter apresenta uma escavação preciosa de histórias que revelam camadas do lo-fi para muito além das oposições entre o underground e o mainstream. Mais que um produto final de pesquisa, o livro torna-se um convite permanente para o leitor inventar e reinventar caminhos para “atacar” suas páginas (tal qual o “ataque” do guitarrista nas cordas de seu instrumento, imagem sonora muito Conteriana), produzindo seus próprios mapas e sonoridades sobre o lo-fi.

 

Gustavo Daudt Fischer