Loucura e Neurose em Freud - A Cena Originária da Clínica Psicanalítica em Análise

Ref: 3952841

Este livro apresenta, na íntegra, dois estudos de Iniciação Científica, em Psicologia, produzidos com o método de Análise Institucional do Discurso.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-062-7


Edição:


Ano da edição: 2012


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 223


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Marlene Guirado.

2. Felipe Martins Afonso.

3. Luisa Guirado.

Um lugar para a análise de discurso na formação em Psicologia?

Este livro apresenta, na íntegra, dois estudos de Iniciação Científica, em Psicologia, produzidos com o método de Análise Institucional do Discurso . Sua inserção numa Coleção intitulada Análise do Discurso & Ensino justifica-se por ter sido uma situação de ensino, com suas exigências e favorecimentos, o contexto das pesquisas e escritura dos textos. Justifica-se, também, por se tratarem, os dois estudos, de análises de discurso.

A Análise Institucional do Discurso no Ensino da Pesquisa em Psicologia: é isso que nos dispomos a mostrar. E, ainda que discutida diretamente apenas em um dos capítulos, a intenção que atravessa todo o livro é demonstrar que produzir pesquisa pela análise de discurso é uma possibilidade diferenciada de fazer psicologia. 
Mais: com esses estudos, pretendemos demonstrar uma estratégia de pensamento, um método, para tratar a psicanálise nas fronteiras com outras áreas do conhecimento; tais como a linguística pragmática da AD francesa de Dominique Maingueneau, a sociologia da Análise de Instituições Concretas de J. A. Guilhon Albuquerque e as ideias de M. Foucault. 

No ponto de sua inflexão clínica, o saber psicanalítico é tomado como dispositivo discursivo, como prática institucional que tem seu berço nas cenas de atendimentos a neuróticos, e que contribui, para além das neuroses, com um entendimento do discurso delirante que o resgata para a perspectiva das construções subjetivas e das verdades históricas.

A aridez das palavras acima, descanse o leitor, será alvo de atenções conceituais e de exemplares clínicos. Isto, para que se faça justiça ao que se pôde configurar pela análise do discurso de Freud, em escritos técnicos, teóricos e de atendimentos a pacientes. Para o momento, é necessário