Malinconia D'Amore: A Melancolia e os Lamentos da Ópera Veneziana de Meados do Século XVII

Ref: 4000759

No início da ópera pública em Veneza, os lamentos femininos consistiram em uma importante convenção dramática. Essas composições eram caracterizadas por tristeza excessiva, obsessão e insanidade.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-109-9


Edição:


Ano da edição: 2013


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 261


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Viviane Kubo.

No início da ópera pública em Veneza, os lamentos femininos consistiram em uma importante convenção dramática. Essas composições eram caracterizadas por tristeza excessiva, obsessão e insanidade. Esta pesquisa visa contrapor os lamentos femininos da ópera veneziana de meados do Seicento com o conceito de melancolia deste período. 

A melancolia foi tema de inúmeros tratados médicos e literários no século XVII e era conceituada como um tipo de loucura. Em geral, era uma condição marcada por tristeza e medo excessivos, acompanhados por pensamentos agitados e desejo de morte. 

A melancolia amorosa teria como causa principal a perda de um objeto amado ou sua rejeição, caracterizada por uma obsessão por aquilo que se perdeu. Na arte, a representação da melancolia e de seus sintomas pode ser encontrada na poesia, na pintura, no teatro e na música. O lamento de Prócris, da ópera Gli Amore di Apollo e Dafne (1640), e o lamento da personagem principal da ópera La Doriclea (1645), ambos de Francesco Cavalli, serão relacionados com as características descritas tanto nos tratados médicos e literários sobre a melancolia, como na representação desta condição nas artes. A construção deste trabalho terá como base uma abordagem crítica e interpretativa, inspirada nos princípios da Nova Musicologia, que busca encontrar o sentido da obra musical a partir de sua inserção em um contexto histórico. Deste modo, as concepções que moveram o ambiente musical do início do século XVII na Itália, como a busca pela mimesis e a verossimilhança, fornecem um cenário propício para a construção deste trabalho.