Manejo Florestal na Amazônia Brasileira: Os Indicadores da Sustentabilidade

Ref: 978-85-473-0408-9

Manejo florestal na Amazônia brasileira apresenta as estruturas conceituais de Critérios e Indicadores (C&I) e uma ampla discussão acerca dos princípios de sustentabilidade do manejo florestal sustentável. No livro, Marcos Antônio Camargo Ferreira propõe um exercício com a finalidade de estimar qual o nível e em que áreas o progresso do manejo florestal em direção à sustentabilidade foram alcançados por meio do uso do conjunto de Critérios e Indicadores existentes nas normas brasileiras.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0408-9


Edição:


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 103


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Marcos Antônio Camargo Ferreira.

Manejo florestal na Amazônia brasileira apresenta as estruturas conceituais de Critérios e Indicadores (C&I) e uma ampla discussão acerca dos princípios de sustentabilidade do manejo florestal sustentável. No livro, Marcos Antônio Camargo Ferreira propõe um exercício com a finalidade de estimar qual o nível e em que áreas o progresso do manejo florestal em direção à sustentabilidade foram alcançados por meio do uso do conjunto de Critérios e Indicadores existentes nas normas brasileiras. Em sua abordagem, o autor afirma que as atividades de exploração e os tratos silviculturais pós-exploratórios, como a condução da regeneração natural após as operações de derruba das árvores,  o arraste das toras na floresta e a implantação de parcela permanente de monitoramento para medir e acompanhar a recuperação da vegetação no ambiente alterado, deveriam ser monitoradas por um conjunto de critérios e indicadores de sustentabilidade, os quais precisariam estar previstos desde a elaboração do projeto. Critérios e Indicadores da sustentabilidade do uso de florestas são ferramentas internacionalmente utilizadas para diagnosticar o grau de uso e exploração de uma floresta. Usados para definir a melhor forma de manejo, esses instrumentos consideram os aspectos ambientais, sociais e econômicos e suas interações para definir o grau de sustentabilidade alcançado pela atividade. O uso de coerentes Critérios e Indicadores para avaliar a sustentabilidade do manejo florestal tem se tornado cada vez mais importante, sendo atualmente a estratégia utilizada pelas mais diversas instituições que pesquisam a sustentabilidade da atividade de manejo florestal em todo o mundo, residindo, nessa prática, importante recurso para o melhor aproveitamento e para a consequente preservação ambiental.