Movimento Social Quilombola: Processos Educativos

Ref: 978-85-8192-988-0

A década de 1980 trouxe não somente o retorno do Estado brasileiro às instituições democráticas, mas a uma concepção de cidadania que somava, aos direitos (civis, políticos e sociais) existentes, os direitos coletivos: relativos a gênero, geração e minorias étnicas, culturais e ambientais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 54,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-988-0


Edição:


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 271


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Maria Jorge dos Santos Leite.

A década de 1980 trouxe não somente o retorno do Estado brasileiro às instituições democráticas, mas a uma concepção de cidadania que somava, aos direitos (civis, políticos e sociais) existentes, os direitos coletivos: relativos a gênero, geração e minorias étnicas, culturais e ambientais. Essas concepções de direitos resultaram da diversidade da luta dos movimentos sociais e encontraram seu marco jurídico fundamental na Constituição Federal de 1988. Entre os novos sujeitos coletivos de direito instituídos pela Carta Constitucional estão as comunidades remanescentes de quilombos, referenciadas no artigo 68 do ADCT, que traduz o reconhecimento por parte de Estado de que a população brasileira é composta por diferentes grupos sociais e de que é necessário reconhecer as diferenças existentes entre eles.