O Erotismo em Machado de Assis

Ref: 978-85-473-0634-2

O livro que o leitor tem em mãos apresenta traços isotópicos que confirmam a presença de erotismo na obra machadiana, pois é o resultado da análise interpretativa das vicissitudes eróticas manifestas, na ficção do autor, sob profundos sentimentos de erotismo nas mais variadas formas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 28,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0634-2


ISBN Digital: 978-85-473-0634-2


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 293


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Edinaldo Flauzino de Matos.

O livro que o leitor tem em mãos apresenta traços isotópicos que confirmam a presença de erotismo na obra machadiana, pois é o resultado da análise interpretativa das vicissitudes eróticas manifestas, na ficção do autor, sob profundos sentimentos de erotismo nas mais variadas formas. Aqui, o erotismo é ajuizado sob a conjectura da dualidade, considerando que a fruição erótica não escancara, e sim se insinua, constituída entre a sobriedade e a leveza que, por sua vez, encontra-se subvertida sob um paradoxo que apreende os limites da morbidez em contiguidade a uma ironia latente. A proposição do erotismo em Machado de Assis não é vulgarizada e nem é composta sob a conjuntura da gratuidade, já que o autor ajusta causa e efeito. O assunto tematizado pressupõe o contradito, por isso não se mostra em plenitude e nem se esconde em sua essência.