O Proeja no Instituto Federal de Goiás: Contradições, Limites e Perspectivas

Ref: 978-85-473-0091-3

“[...] como a gente vive numa sociedade capitalista, em que a realidade [de fato] a gente não vê, (...) vive na aparência, na irracionalidade, trazer a Educação de Jovens e Adultos para o Instituto é olhar de frente para o nosso país, e não dar as costas [...]”. (Professora do PROEJA no Câmpus Goiânia).


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 54,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0091-3


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 305


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Mad’ Ana Desirée Ribeiro de Castro.

“[...] como a gente vive numa sociedade capitalista, em que a realidade [de fato] a gente não vê, (...) vive na aparência, na irracionalidade, trazer a Educação de Jovens e Adultos para o Instituto é olhar de frente para o nosso país, e não dar as costas [...]”. (Professora do PROEJA no Câmpus Goiânia).

“Eu achei muito interessante vocês falarem que os sujeitos da EJA (...) é negro, pobre; estão falando de mim. [...] Esse aluno que vocês estão discutindo é uma pessoa de verdade, é um trabalhador que sofre, sentado em sala de aula”. (Aluna do PROEJA do IFG – Câmpus Goiânia 2).

“Recentemente eu aprendi a gostar de Machado de Assis, que eu odiava, porque eu não entendia ele, eu aprendi a gostar de Shakespeare. Pela primeira vez eu aprendi a gostar de Romeu e Julieta, que eu também não gostava. Recentemente eu pude ajudar a minha filha a fazer uma redação. O que é uma redação. E mais recentemente ainda eu ajudei ela a passar no vestibular da Universidade Federal. Agora ela está cursando Farmácia”. (Aluna PROEJA do IFG – Câmpus Goiânia 2).

Abordando o processo de implantação e implementação do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (PROEJA), evidencia-se nessa obra os pressupostos estruturais e conjunturais do Estado e da Educação no Brasil, as especificidades sociais dos sujeitos da Educação de Jovens e Adultos e a inserção destes em uma instituição pública de reconhecida qualidade e que até há pouco tempo recebia fundamentalmente estudantes das classes médias. Buscando compreender as múltiplas determinações do processo de implantação e implementação do Proeja, em um estudo de caso, a autora procura ressaltar as contradições, os limites e as perspectivas da Educação Profissional Integrada à Educação de Jovens e Adultos no IFG e nos diversos espaços educativos onde foi/é ofertada.