O Sujeito Entre Línguas Materna e Estrangeira Lugar de Interferências, Historicidades, Reverberações

Ref: 4192452

O livro analisa a produção escrita de aprendizes de língua inglesa como língua estrangeira em fase inicial de aprendizagem com o objetivo de averiguar como se dá este fenômeno


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 58,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-336-9


Edição: 1


Ano da edição: 2014


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 174


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Giovani Forgiarini Aiub.

O livro analisa a produção escrita de aprendizes de língua inglesa como língua estrangeira em fase inicial de aprendizagem com o objetivo de averiguar como se dá este fenômeno. Além disso, analisa um processo pelo qual todo sujeito passa ao vivenciar uma língua outra: o processo de reconfiguração subjetiva. Nesta perspectiva, este estudo inicia com uma reflexão sobre as diferentes metodologias de ensino de línguas estrangeiras e chega à Linguística Aplicada (LA) como uma teoria hegemônica neste campo. Contudo, este livro se alicerça na teoria da Análise do Discurso (AD) para investigar como que as historicidades das línguas em jogo entram em conflito fazendo com que o sujeito-aprendiz produza uma escrita que se pode chamar "estranha". As análises apontam a presença da materna língua portuguesa na escrita da estrangeira língua inglesa, de tal modo que há um imbricamento entre essas línguas. Enquanto que para a LA, a interferência da língua materna na escrita em língua estrangeira é vista sob uma ótica estritamente linguística e é examinada a partir de uma língua sistêmica, levando em conta principalmente estruturas morfológicas e sintáticas, as interferências de cunho semântico, pensadas pelo viés da AD, foram designadas aqui como reverberação. Além do mais, esta obra mostra que o contato com uma língua estrangeira pode causar diversos estranhamentos no sujeito em processo de aprendizagem de uma língua estrangeira, fazendo com que seja desestabilizado seu mundo logicamente organizado pela língua materna, dando ao aprendiz a possibilidade de refletir sobre novas formas de dizer.