Olhares e Narrativas: Público do Museu Oscar Niemeyer

Ref: 978-85-473-0193-4

Com o título Olhares e narrativas: público do Museu Oscar Niemeyer, o que se revela  para o leitor, como quem observa a imagem multifacetada do “caleidoscópio” por meio de diferentes olhares e suas narrativas, é que a representatividade do Museu Oscar Niemeyer – MON está condicionada à ação do Poder Público e que esse museu é um espaço democrático, se comparado aos outros centros culturais de Curitiba: oferece ao mesmo tempo cultura, turismo e lazer.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 28,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0193-4


ISBN Digital: 978-85-473-0193-4


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 302


Peso: 200 gramas


Largura: 17 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Adriana Vaz.

Com o título Olhares e narrativas: público do Museu Oscar Niemeyer, o que se revela  para o leitor, como quem observa a imagem multifacetada do “caleidoscópio” por meio de diferentes olhares e suas narrativas, é que a representatividade do Museu Oscar Niemeyer – MON está condicionada à ação do Poder Público e que esse museu é um espaço democrático, se comparado aos outros centros culturais de Curitiba: oferece ao mesmo tempo cultura, turismo e lazer.

Que o MON ampliou a participação do público, quando comparado a outros espaços museológicos da cidade, é fato, mas ainda assim questionamos: Quais fatores concorrem para o aumento de visitantes do MON? A entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês? A política educacional promovida pela ação educativa? A popularização da informação por meio da publicidade vinculada à comercialização de livros e catálogos editados pelo museu? Há, ainda, outros fatores interligados, como a arquitetura, o perfil das exposições, a localização geográfica e os patrocinadores envolvidos, que não podem ser desconsiderados nas respostas que propõe este livro.

O leitor perceberá  que o MON pressupõe um modelo de identidade particularizado pela trajetória pessoal de cada visitante, por meio das lembranças e memórias que o museu oferece. Tal significado não está nos objetos expostos, mas na versão que cada sujeito lhe confere a partir do seu próprio cotidiano. O diferencial que o livro oferece é compreender as articulações entre o culto, o massivo e o popular: o MON marca o cenário cultural da capital do Paraná, em que o segmento popular é o protagonista dessa narrativa.