Pescadô Num Qué Ir pra Essa Escola, Não!: Representações Sociais dos Pescadores de Atafona

Ref: 978-85-473-0283-2

Pescadô num qué ir pra essa escola, não! – representações sociais dos pescadores de Atafona apresenta, numa abordagem psicossocial das representações sociais, como trabalhadores da pesca artesanal representam a escola em situação de conflito de território. O livro pretende contribuir para estudos em Representações Sociais que utilizam a pesquisa etnográfica e a observação participante na busca de identificar possíveis representações sociais de determinado grupo social.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0283-2


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 237


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Suely Fernandes Coelho Lemos.

Pescadô num qué ir pra essa escola, não! – representações sociais dos pescadores de Atafona apresenta, numa abordagem psicossocial das representações sociais, como trabalhadores da pesca artesanal representam a escola em situação de conflito de território. O livro pretende contribuir para estudos em Representações Sociais que utilizam a pesquisa etnográfica e a observação participante na busca de identificar possíveis representações sociais de determinado grupo social.

Foi produzido com base em estudos e pesquisa realizada entre pescadores artesanais e mulheres da pesca sobre suas possíveis representações sociais de escola em situação de disputa de território que ameaça a atividade da pesca artesanal e impõe a escola.

Além de instigar reflexões necessárias sobre como trabalhadores jovens e adultos, em especial os trabalhadores da pesca artesanal, representam a escola, este livro também aborda os caminhos percorridos pela pesquisa para perceber como essas representações são construídas e como esses sujeitos revelam as dificuldades que encontram em seu retorno ou inclusão na escola, cuja estrutura, por vezes rígida, não os acolhe em suas especificidades.

Esta obra instiga, portanto, reflexões sobre a Educação de Jovens e Adultos no Brasil, as políticas públicas direcionadas à classe trabalhadora, em especial aos pescadores artesanais, e a necessidade de a escola (re)estruturar-se de modo a atender, de fato, as necessidades desse público para o qual se destina.

Portanto, é uma obra indicada para educadores da EJA e pesquisadores iniciantes em Representações Sociais que buscam trilhar a abordagem psicossocial que tem Moscovici e Denise Jodelet como principais representantes.