Realidade Perturbada: Corpos, Espíritos, Família e Vigilância no Cinema de Horror

Ref: 978-85-473-1099-8

O livro Realidade Perturbada: corpos, espíritos, família e vigilância no cinema de horror investiga minuciosamente um fenômeno que se disseminou pelas telas do planeta neste começo de século,


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 66,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 30,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1099-8


ISBN Digital: 978-85-473-1100-1


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 293


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Klaus’Berg Nippes Bragança.

O livro Realidade Perturbada: corpos, espíritos, família e vigilância no cinema de horror investiga minuciosamente um fenômeno que se disseminou pelas telas do planeta neste começo de século. O chamado Found Footage de Horror se tornou um subgênero popular a partir do sucesso de crítica e bilheteria de A Bruxa de Blair na virada do milênio. Orientado por um viés cultural, com análises profundas, críticas e descontraídas, o autor examina influências históricas que moldaram o repertório do subgênero, e debate sua repercussão em temas de grande relevância na sociedade moderna: guerra, corpo, espírito, família, exibicionismo e vigilância são assuntos privilegiados na atual produção audiovisual de horror. Abordando uma diversidade de filmes com zumbis, fantasmas, demônios, monstros gigantes, invasores alienígenas e maníacos homicidas, Realidade Perturbada é um livro precioso e oportuno sobre um gênero multifacetado e ambivalente que ainda carece de maiores estudos e obras publicadas em língua portuguesa. Por meio de sua filmografia eclética, munido de uma argumentação criteriosa, Realidade Perturbada apresenta outra perspectiva sobre a transformação da linguagem cinematográfica contemporânea, sendo uma importante fonte de consulta e uma leitura indispensável dedicada a estudantes, professores, pesquisadores, estudiosos e fãs do cinema de horror.