A Cultura Escolar do Ensino de Matemática na Bahia: (Re) Visitando Grupos Escolares (1938-2000)

Ref: 978-85-473-0872-8

Este livro é fruto do trabalho realizado junto ao Grupo de Estudos em Educação Matemática (GEEM), que, ampliando seu campo de investigação, elabora uma linha de pesquisa sobre os Grupos Escolares e os Saberes Elementares Matemáticos. 


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0872-8


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 12/01/2018


Número de páginas: 145


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Rosemeire Santos Amaral.

Este livro é fruto do trabalho realizado junto ao Grupo de Estudos em Educação Matemática (GEEM), que, ampliando seu campo de investigação, elabora uma linha de pesquisa sobre os Grupos Escolares e os Saberes Elementares Matemáticos. Os trabalhos científico-acadêmicos ou memorialistas a respeito da história dos Grupos Escolares em diversos estados brasileiros apresentam-se em larga escala, partindo do estado de São Paulo, o pioneiro e difusor dessa modalidade de ensino por todo o país. Todavia, em relação ao estado da Bahia, o contexto é divergente, os registros são escassos.

A Cultura Escolar do Ensino de Matemática constitui-se em uma revisita aos Grupos Escolares do estado da Bahia, um cenário tão pouco investigado. Para melhor compreensão, a pesquisa trabalha sob a documentação oficial com base em dois referenciais: o primeiro, pautado no Ensino Primário Público e sua regulamentação e normatização (1891-1961); o segundo, no cenário que permitiu a investidura deste livro, os Grupos Escolares como categorização do curso primário, com especificidades de tempo e espaço escolares, constituindo-se como uma modalidade de ensino característica do ideário político da Primeira República no Brasil, apresentando dispositivos para os Saberes Elementares Matemáticos atribuídos à Legislação da Bahia (1895-1925), sob a qual se estabeleceu uma Cultura Escolar do Ensino de Matemática.

Assim, a análise das fontes documentais – relatos de ex-alunos e ex-professores, documentos institucionais ou pessoais – permitiu-me identificar, com relação às práticas da leitura e da escrita, alguns aspectos para os programas de ensino, aos conteúdos e aos exames escolares (compatibilizando provas e desempenho escolar de acordo com dados produzidos pela pesquisa), à materialidade escolar, às medidas socioeducativas e às disciplinares aplicadas ao curso primário como integrantes do panorama dos Grupos Escolares de Anagé, Brumado e Guanambi. São práticas e representações, transmissão e construção do saber, táticas e estratégias de condução, conformidade e transgressão culturais para um legado da história da Educação na Bahia, particularmente para a constituição da Cultura Escolar do Ensino de Matemática.