Tradição e Ruptura: O Brasil e o Regime Internacional de Não Proliferação Nuclear

Ref: 978-85-473-1189-6

Este livro tem o objetivo de analisar o porquê da adesão do Brasil, na década de 1990, ao regime internacional de não proliferação nuclear, institucionalizado no Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP), de acordo com as decisões do governo Fernando Henrique Cardoso.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 54,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 24,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1189-6


ISBN Digital: 978-85-473-1190-2


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 27/04/2018


Número de páginas: 213


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Letícia Ortega.

Este livro tem o objetivo de analisar o porquê da adesão do Brasil, na década de 1990, ao regime internacional de não proliferação nuclear, institucionalizado no Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP), de acordo com as decisões do governo Fernando Henrique Cardoso. A justificativa está relacionada ao processo de desenvolvimento de pesquisa nuclear no Brasil e à sua correlação com a Política Externa Brasileira, utilizando conhecimentos e obras de autores (nacionais e internacionais) que, direta ou indiretamente, estudaram as questões nucleares e a sua relação com a política externa, bem como documentos oficiais do Ministério das Relações Exteriores e da Presidência da República. O recorte temporal da pesquisa abrangeu o período de 1951 a 1998, dedicando especial atenção à década de 1990, uma vez que esse período corresponde ao declínio do Programa Autônomo da Tecnologia Nuclear. Ao mesmo tempo, a década de 1990 é significativa para o regime internacional de não proliferação, que sofreu significativas mudanças no pós-Guerra Fria – inclusive a universalização do TNP. Neste livro, todos aqueles interessados pela História do Brasil e, principalmente, pela Política Externa Brasileira encontrarão uma análise crítica da trajetória nuclear brasileira, em que se propõe a continuidade do debate.