Vivências de Mães de Bebês Prematuros

Ref: 978-85-473-1230-5

O livro Vivências de mães de bebês prematuros é fruto das experiências ligadas aos projetos de pesquisa e de extensão universitária desenvolvidos junto às mães de bebês prematuros internados em maternidades de Aracaju (SE) entre 2008 e 2016. Os trabalhos foram coordenados pelas professoras do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Sergipe Elza Corrêa Cunha e Margarida Britto de Carvalho.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 22,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1230-5


ISBN Digital: 978-85-473-1231-2


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 18/05/2018


Número de páginas: 181


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Elza Francisca Corrêa Cunha.

2. Margarida Maria Silveira Britto de Carvalho.

O livro Vivências de mães de bebês prematuros é fruto das experiências ligadas aos projetos de pesquisa e de extensão universitária desenvolvidos junto às mães de bebês prematuros internados em maternidades de Aracaju (SE) entre 2008 e 2016. Os trabalhos foram coordenados pelas professoras do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Sergipe Elza Corrêa Cunha e Margarida Britto de Carvalho.

Ao ouvir e conviver com as mães de bebês nascidos prematuramente, deparamo-nos com um universo repleto de emoções e sentimentos situados em polos opostos. A percepção dos filhos fraquinhos, com aparência doente e distante do que imaginavam, aliada aos sentimentos de culpa, impotência e frustração maternos, levam essas mulheres a uma espécie de crise emocional. Esta identificada por emoções e sentimentos permeados pelo medo e pela incerteza da sobrevivência, da melhora e do desenvolvimento normal do seu bebê. A miríade de sentimentos e emoções que as envolvem não se dissipam nem mesmo quando chega o momento tão almejado: a alta hospitalar. Ao contrário do coroamento de tanto sofrimento, inicia-se aí outra jornada de lutas, não raro, relacionadas às próprias redes de apoio, quando, por exemplo, alguns postos de saúde negam-se a atender aos problemas de saúde do prematuro. Por outro lado, novos aprendizados e alegrias anunciam-se para essas mães ao observarem sua criança se desenvolvendo, aprendendo a conviver com a família e a responder aos estímulos sociais.

As situações retratadas, tão marcadas nas nossas lembranças, foram expostas pelas mães participantes dos projetos em meio às partilhas das suas vivências na maternidade e/ou nas residências, quando das nossas visitas. Esperamos que as informações contidas neste livro – que tem como coautoras as guerreiras mães dos bebês prematuros – possam, antes de trazer respostas, suscitar questões a respeito da prematuridade e de todas as pessoas envolvidas nesse complexo fenômeno.