Cartografias de Experiências Urbanas: Corpo, Pensamento e Cidade em Movimento

Ref: 978-85-473-1005-9

“Será que ‘uma ordem objetiva mutante’ pode de fato nascer do caos de nossas cidades e nos levar a viver, pensar e sentir diferentemente de hoje?” Félix Guattari, no livro Caosmose. O livro Cartografias de experiências urbanas: corpo, pensamento e cidade em movimento volta-se para essa pergunta, afirmando a relevância da experiência sensível acerca da vida urbana. A autora desenvolve uma pesquisa do corpo em relação com o espaço, com os outros e com a produção do pensamento enquanto agonística, na direção de uma desconstrução radical da experiência de mundo dominante.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1005-9


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 04/06/2018


Número de páginas: 143


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Manuela Linck de Romero.

“Será que ‘uma ordem objetiva mutante’ pode de fato nascer do caos de nossas cidades e nos levar a viver, pensar e sentir diferentemente de hoje?”

Félix Guattari, no livro Caosmose.

O livro Cartografias de experiências urbanas: corpo, pensamento e cidade em movimento volta-se para essa pergunta, afirmando a relevância da experiência sensível acerca da vida urbana. A autora desenvolve uma pesquisa do corpo em relação com o espaço, com os outros e com a produção do pensamento enquanto agonística, na direção de uma desconstrução radical da experiência de mundo dominante.

O corpo é abordado em sua capacidade multissensorial. Aspectos e qualidades de diversas atitudes atencionais são investigados a fim de promover uma atenção concentrada e aberta que favorece ao corpo a experiência de se deixar afetar por suas variadas entradas sensoriais, pela diferença e pelo plano coletivo de forças que tece a cidade.

Por meio de uma escrita ensaística, o leitor é levado a experimentar a cidade do Rio de Janeiro em um percurso através do qual o entrelaçamento entre a dimensão da história individual, da história da cidade e da história mundial pode ser apreendido. Territórios urbanos e territórios existenciais desdobram-se na cartografia de experiências urbanas que emerge trazendo à luz a problematização de fronteiras – entre pensamento e sensação, entre corpo e cidade, entre a clínica e a política, entre eu e o outro – enquanto brechas necessárias para novas formas de experimentar e conceber o mundo.

Uma produção de caráter transversal na área da psicologia, que vem contribuir com a problematização contemporânea acerca da essência da subjetividade humana e seus efeitos no destino das cidades.