Memórias Digitais: Histórias Escolares nas Comunidades do Orkut

Ref: 978-85-473-1239-8

Este livro procura se aproximar dos “posts” encontrados nas comunidades do Orkut do Colégio Militar do Rio de Janeiro, do Colégio de São Bento do Rio de Janeiro e do Colégio Marista São José do Rio de Janeiro, procurando dar visibilidade a essas escritas autobiográficas virtuais sobre a vida escolar como fontes para a história da Educação.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 44,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 20,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-1239-8


ISBN Digital: 978-85-473-1240-4


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 23/05/2018


Número de páginas: 317


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Robson Fonseca Simões.

Este livro procura se aproximar dos “posts” encontrados nas comunidades do Orkut do Colégio Militar do Rio de Janeiro, do Colégio de São Bento do Rio de Janeiro e do Colégio Marista São José do Rio de Janeiro, procurando dar visibilidade a essas escritas autobiográficas virtuais sobre a vida escolar como fontes para a história da Educação. Como esses usuários narram as suas histórias escolares? Quais os relatos mais frequentes? Essas questões  instigam a pensar que o registro das experiências escolares possibilita ao sujeito desnudar-se. No tempo das tecnologias digitais, o usuário move-se sobre teclados, telas, deixando registros de uma vida, que são examinados pelos moderadores. Mas quem são esses sujeitos nas comunidades escolares? Será que eles cumprem os mesmos papéis desempenhados pelos editores? As escritas memorialistas comandam, imperativamente, novas relações com a escrita; essas narrativas não se esgotam numa tipologia textual persuasiva; observam-se laços de ideias, afetos, aproximando os ex-alunos dessas redes sociais virtuais. Essas postagens constituem elos do tecido das lembranças dos sujeitos que não se intimidam em contar as suas histórias nesses novos suportes de escrita; os ex-alunos compartilham experiências, sentimentos e saberes, borrando fronteiras entre o público e o privado. Nesse sentido, percebe-se que essas escritas autobiográficas nas comunidades escolares do Orkut também construíam esses sujeitos no suporte digital. A obra se ancora nos estudos de vários pesquisadores das escritas íntimas, da linguagem e da História da Educação, problematizando essas escritas dos usuários que mantinham seus vínculos nas comunidades escolares do Orkut, procurando pensar que esses depoimentos condenados a pouca duração criavam chances para analisar os usos e as funções da cultura escrita, como a arte e a literatura também pedem passagem para se entender melhor cada sociedade. Aliás, a Google Brasil anunciou em 2014 que tinha encerrado as suas atividades de rede social em todo o mundo. A empresa alegou o crescimento de outras comunidades, remetendo à questão: mas quem disse que isso é o fim? Se a efemeridade habita os suportes virtuais, certamente outras redes sociais estarão franqueadas à visita dos pesquisadores que desejarem continuar a examinar outras histórias de um tempo escolar.