Empreendedorismo Social e Políticas Públicas na Educação: Possibilidades e Limites

Ref: 978-85-473-1728-7

Enfrentam-se problemas educacionais no Brasil, usualmente, por meio de políticas públicas. Todavia está crescendo no mundo, e de forma mais recente no Brasil, um fenômeno da sociedade civil que busca assumir a corresponsabilidade pelos problemas educacionais e propor soluções para enfrentá-los.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1728-7


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 06/08/2018


Número de páginas: 139


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Júlio Gomes Almeida.

2. Gabriel Fernandes Cardoso.

Enfrentam-se problemas educacionais no Brasil, usualmente, por meio de políticas públicas. Todavia está crescendo no mundo, e de forma mais recente no Brasil, um fenômeno da sociedade civil que busca assumir a corresponsabilidade pelos problemas educacionais e propor soluções para enfrentá-los.

Nesse sentido, Empreendedorismo social e políticas públicas na Educação: possibilidades e limites tem como ponto de partida a identificação das possibilidades e dos limites dessa atividade como alternativa no enfrentamento de problemas educacionais.

O livro que você tem em mãos estrutura-se em cinco capítulos. No primeiro, trazemos uma introdução à temática, contextualizando o percurso reflexivo e a justificativa que nos levou a escrevê-lo. Em seguida, no segundo capítulo, buscamos explorar de forma panorâmica alguns problemas educacionais brasileiros (passando por problemas públicos e discorrendo sobre a questão da qualidade na educação) e as propostas de enfrentamento frequentes no Brasil (as políticas públicas, especificamente as educacionais), assim como os prováveis limites que elas possuem. No terceiro capítulo, conceituamos e discutimos o empreendedorismo de forma ampla, até chegarmos ao conceito e aos desdobramentos organizacionais do empreendedorismo social, quando então apresentamos algumas provocações sobre o seu surgimento e seus limites. No quarto capítulo, apresentamos três casos de empreendimentos sociais brasileiros que atuam na área educacional, buscando entender suas configurações organizacionais, suas características, suas áreas de atuação e, principalmente, o que pensam os empreendedores sociais que os lideram. Encerramos a obra com considerações, reflexões e sugestões decorrentes da discussão e da transversalidade dos quatro primeiros capítulos.

Cabe assinalar que este livro, obviamente, não esgota o tema. Todavia nos candidatamos como um dos possíveis pontos de partida para o estudo e a pesquisa do empreendedorismo social na educação.

Recomendamos este livro principalmente para pesquisadores, professores e estudantes que transitam nos campos de Educação, Administração, Políticas Públicas, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Desenvolvimento Sustentável.

Nossa obra também é recomendada para formuladores de políticas públicas, gestores públicos, políticos e empreendedores, sejam eles tradicionais ou sociais.