Desenvolvimento de Biocerâmicas de Origem Fossilizada para Reconstrução e Neoformação Óssea

Ref: 978-85-473-1652-5

A obra Desenvolvimento de biocerâmicas de origem fossilizada para reconstrução e neoformação óssea trata do desenvolvimento de materiais inovadores. Biocerâmicas de fosfatos de cálcio têm importância estratégica em pesquisas científicas e tecnológicas, gerando excelentes perspectivas na área biomédica, ainda incipiente no Brasil.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 28,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1652-5


ISBN Digital: 978-85-473-1653-2


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 15/08/2018


Número de páginas: 173


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Daiara Floriano da Silva.

A obra Desenvolvimento de biocerâmicas de origem fossilizada para reconstrução e neoformação óssea trata do desenvolvimento de materiais inovadores. Biocerâmicas de fosfatos de cálcio têm importância estratégica em pesquisas científicas e tecnológicas, gerando excelentes perspectivas na área biomédica, ainda incipiente no Brasil. Esses biomateriais podem ser utilizados em diversos ramos da saúde: na Odontologia, na Ortopedia, na Oncologia e na Traumatologia, como elemento matricial em preenchimento de defeitos, reconstituição maxilofacial, maxilomandibular, tratamentos de remineralização dental, reconstrução do tecido ósseo e ainda para o carregamento e a liberação de fármacos.

O uso de recursos naturais renováveis também é de interesse científico e comercial. Para tanto, pesquisas na utilização de fontes alternativas de cálcio são amplamente investigadas e direcionadas para a elaboração de biomateriais de substituição do tecido ósseo e de fármacos. As matérias-primas naturais de origem fossilizada apresentadas nesta obra revelam ser uma fonte alternativa positiva, como precursores na fabricação de pós-nanoestruturados de fosfatos de cálcio e biomateriais microporosos. Outro valor agregado a essas matérias-primas está associado à utilização e à valorização de bens renováveis, passíveis de mineração, direcionados à elaboração de biomateriais com elevado valor agregado, em que o seu uso em aplicações biomédicas, como na reparação e reconstrução óssea, é capaz de atender as demandas tecnológicas atuais.

O desenvolvimento desses substitutos ósseos traz consigo a possibilidade de evitar ou diminuir a necessidade de uma segunda cirurgia, para a remoção do osso autógeno, eliminando os riscos de transmissão de doenças dos substitutos ósseos de origem alógena ou xenógena disponíveis atualmente.

Uma larga faixa da população poderá ser beneficiada com a evolução dos biomateriais no País, podendo ter acesso a tratamentos com custo acessível e redução da necessidade de procedimentos invasivos.