A Docilização do Corpo Docente na Pós-Graduação Brasileira: Um Estudo Sobre o Modelo Capes de Avaliação da Produção Intelectual

Ref: 978-85-473-1667-9

Os autores desta obra recorrem às ideias de dois grandes pensadores franceses, Michel Foucault e Pierre Bourdieu, para tentar compreender como e por que o atual modelo de avaliação gestado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) induz à disciplinarização dos corpos docentes no que diz respeito à produção e à difusão de conhecimento no campo da pós-graduação stricto sensu no Brasil.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 72,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 33,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1667-9


ISBN Digital: 978-85-473-1668-6


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 31/08/2018


Número de páginas: 259


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Roberto Leon Ponczek.

2. Núbia Moura Ribeiro.

3. Anderson Luis da Paixão Café.

Os autores desta obra recorrem às ideias de dois grandes pensadores franceses, Michel Foucault e Pierre Bourdieu, para tentar compreender como e por que o atual modelo de avaliação gestado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) induz à disciplinarização dos corpos docentes no que diz respeito à produção e à difusão de conhecimento no campo da pós-graduação stricto sensu no Brasil. Para atingir esse objetivo, os autores realizaram amplas pesquisas em documentos produzidos pela própria Capes e pelos programas de pós-graduação selecionados; coletaram dados e estudaram a produção intelectual gerada pelos Programas de Pós-Graduação selecionados e analisaram a percepção dos docentes entrevistados quanto ao atual modelo de avaliação da Capes. Nesse sentido, esta obra revela aos seus leitores que a Capes possui fortes características de uma instituição disciplinar, na medida em que foi encontrado, no corpus documental analisado, um conjunto de técnicas de controle que evidencia como os corpos docentes são induzidos a conformarem-se às normas de produtividade acadêmico-científica da referida agência e a publicarem seus resultados de pesquisas em espaços temporais cada vez mais reduzidos, o que contribui para a fabricação de corpos dóceis na pós-graduação brasileira.