Sustentabilidade Global e Realidade Brasileira

Ref: 978-85-473-1532-0

Sustentabilidade Global e Realidade Brasileira tem como objetivo a análise teórica e política dos problemas do meio ambiente, no âmbito brasileiro e internacional. O livro tem como marco fundamental a publicação da Encíclica Laudato Si’, em que o papa Francisco assumiu um importante posicionamento no campo das relações internacionais, ao propor e defender uma nova forma de condução das questões relativas à sustentabilidade planetária e ao desenvolvimento da humanidade, a um só tempo resgatando categorias afastadas dos debates acerca da ordem internacional e conferindo à Igreja Católica um novo e benéfico protagonismo na lida com as negociações ambientais internacionais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1532-0


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 06/09/2018


Número de páginas: 195


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Regina Maria A. Fonseca Gadelha.

2. Joaquim Carlos Racy.

Sustentabilidade Global e Realidade Brasileira tem como objetivo a análise teórica e política dos problemas do meio ambiente, no âmbito brasileiro e internacional. O livro tem como marco fundamental a publicação da Encíclica Laudato Si’, em que o papa Francisco assumiu um importante posicionamento no campo das relações internacionais, ao propor e defender uma nova forma de condução das questões relativas à sustentabilidade planetária e ao desenvolvimento da humanidade, a um só tempo resgatando categorias afastadas dos debates acerca da ordem internacional e conferindo à Igreja Católica um novo e benéfico protagonismo na lida com as negociações ambientais internacionais.

Na primeira parte do livro – Globalização, Política, Sustentabilidade e Meio Ambiente –, o texto traz para o leitor um apanhado das tratativas internacionais sobre os problemas ambientais a partir da Agenda 21 até a Encíclica, e analisa seu papel na discussão teórica e nas negociações dos interesses relativos ao meio ambiente para o ordenamento mundial.

Nesta perspectiva, busca avaliar o significado da Encíclica a partir de seus fundamentos teológicos, filosóficos e econômicos, e como as questões por ela expressas se apresentam na realidade concreta das sociedades particularmente mais vulneráveis. Analisa também a implicação e o papel dos interesses do capital financeiro na constituição das discussões e no encaminhamento dos problemas ambientais e do desenvolvimento no sistema internacional.

Já na Parte II – Direito Ambiental; Crises Hídricas e Energéticas; Sustentabilidade e Cidadania –, os autores avaliam de maneira crítica e detalhada alguns dos problemas reais dessa natureza no Brasil. A começar pelo incidente crítico da Samarco, analisa-se a questão da mineração de ferro e seus impactos para as comunidades locais e as mudanças na legislação de minas, a política energética brasileira e suas implicações com a política ambiental e, finalmente, o caso da transposição do Rio São Francisco e consequências para a região e o meio ambiente.

Acompanha estes artigos uma reflexão acerca das políticas ambientais para o planejamento econômico, com a preocupação do desenvolvimento nos moldes de uma sociedade justa e compatível com a preservação do planeta e da espécie humana.