Consumo Cultural nas Práticas Juvenis

Ref: 978-85-473-2143-7

Esta obra é fruto das inquietações que tiveram início desde a pesquisa de mestrado da autora, no desejo de entender as manifestações juvenis. O foco é a  procura da compreensão da intervenção dos jovens como fãs e consumidores da cultura pop, assim como os compartilhamentos nas redes sociais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 67,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 23,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-2143-7


ISBN Digital: 978-85-473-2151-2


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 09/10/2018


Número de páginas: 137


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Cleusa Albilia de Almeida.

Esta obra é fruto das inquietações que tiveram início desde a pesquisa de mestrado da autora, no desejo de entender as manifestações juvenis. O foco é a  procura da compreensão da intervenção dos jovens como fãs e consumidores da cultura pop, assim como os compartilhamentos nas redes sociais. No período de pesquisa foram feitos vários  movimentos com a intenção de entender as práticas das juventudes e sua relação com os meios de comunicação. O primeiro deles foi conhecer a cultura nipônica na cidade da pesquisa: Cuiabá-MT. Um estado com raízes tradicionais que, no entanto, é muito acolhedor às diversas manifestações culturais. O segundo movimento concentrou-se na relação da cultura nipônica com seu objeto de pesquisa em foco. Para isso, foi fundamental o diálogo com pesquisadores que investigaram o crescente apego à cultura de animes e mangás: Hirata (2012), Urbano (2011), Matta (2012), Brito (2012), Ueta (2013) entre outros autores que auxiliaram nessa reflexão e inserção na cultura pop. O terceiro movimento foi o de se lançar a campo. Assim, as rodas de conversas – que abriram vários horizontes – e o pensar a cultura juvenil – no sentido de que esse estado não é estático, pois está em constantes mudanças – contribuíram para o desenvolvimento dos caminhos propostos.