Jesus Cristo e a Pessoa Humana: A Dignidade Humana a Partir da Gaudium Et Spes 22

Ref: 978-85-473-2013-3

Esta obra parte da emblemática afirmação do Concílio Ecumênico Vaticano II: “Cristo manifesta plenamente o homem ao próprio homem e lhe descobre a sua altíssima vocação” (Gaudium et Spes 22), com o intuito de apresentar aos leitores uma compreensão da dignidade humana como graça e missão em ótica cristã. Para tal, o autor recorre à Imago Dei manifestada em Cristo, que dá historicidade plena à Imago Hominis, e faz, a partir disso, um convite à humanização.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2013-3


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 16/10/2018


Número de páginas: 155


Encadernação: Brochura


Peso: 2018 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Thiago de Moliner Eufrásio.

Esta obra parte da emblemática afirmação do Concílio Ecumênico Vaticano II: “Cristo manifesta plenamente o homem ao próprio homem e lhe descobre a sua altíssima vocação” (Gaudium et Spes 22), com o intuito de apresentar aos leitores uma compreensão da dignidade humana como graça e missão em ótica cristã. Para tal, o autor recorre à Imago Dei manifestada em Cristo, que dá historicidade plena à Imago Hominis, e faz, a partir disso, um convite à humanização. Tendo em vista a presença cristã no mundo como expressão da fé em Jesus Cristo, o autor coloca-se em diálogo com a sociedade contemporânea por meio de aspectos do direito natural e fundamental, bem como da declaração Universal dos Direitos Humanos, tendo presentes alguns elementos da Constituição da República Federativa do Brasil. Nesse sentido, partindo do conceito de dignidade humana em vista de um diálogo que possa salvaguardar e promover a vida, esta obra quer apresentar, a partir de Jesus Cristo, uma maneira razoável de colocar-se frente ao mistério humano historicizado. Desse modo, tendo em vista os desafios atuais da promoção humana e da cristologia como antropologia, partindo da Gaudium et Spes 22 para dialogar com alguns elementos do direito, propõe a dinâmica da vida cristã, em perspectiva escatológica, como participação no mistério do Verbo humanado relendo as notae Ecclesiae como notae christianorum.