Educação Jurídica e a Formação de Profissionais do Futuro

Ref: 978-85-473-1746-1

Educação jurídica e a formação de profissionais do futuro é uma obra atual e envolvente que enfrenta a temática dos desafios da formação de profissionais do Direito no século XXI. A proposta está centrada na consolidação de um novo paradigma educativo sustentado em práticas docentes inovadoras e disruptivas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 21,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1746-1


ISBN Digital: 978-85-473-2584-8


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 24/10/2018


Número de páginas: 151


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Bárbara Silva Costa.

2. Leonel Severo Rocha.

Educação jurídica e a formação de profissionais do futuro é uma obra atual e envolvente que enfrenta a temática dos desafios da formação de profissionais do Direito no século XXI. A proposta está centrada na consolidação de um novo paradigma educativo sustentado em práticas docentes inovadoras e disruptivas.

Questiona-se cada vez mais se as metodologias de ensino empregadas tradicionalmente pelos cursos jurídicos são suficientes para se pensar a formação do profissional do futuro. Tal provocação pode ser motivada, inicialmente, a partir da dificuldade de se conceber um modelo paradigmático centrado nas concepções de ordem, linearidade, certeza e segurança.

No âmbito educativo, a concepção pedagógica adotada tradicionalmente nas escolas de Direito está voltada a um modelo centrado na figura do professor. Ao estudante, caberia apenas o papel de ouvinte em aulas marcadas pela inexistência de interação. Para esse modelo industrial e bancário, o ensino está restrito ao ambiente de sala de aula e é realizado, normalmente, por meio de aulas expositivas.

Ocorre que pensar a educação jurídica no século XXI exige ressignificar os conceitos de tempo, espaço e processo pedagógico. É preciso reconhecer a incapacidade das faculdades de Direito de formarem profissionais aptos a atuarem em um contexto que convive com a insegurança, os riscos, os paradoxos e as contingências. Isso porque o paradigma adotado tradicionalmente pela ciência (e que tem consequências em sistemas como o educativo e o jurídico) está centrado nos postulados de ordem, certeza e estabilidade. A formação do profissional do futuro requer uma nova forma de pensar o Direito e o seu ensino.