A Invenção do Videoclipe: A História por Trás da Consolidação de um Gênero Audiovisual

Ref: 978-85-473-0341-9

O livro A invenção do videoclipe: a história por trás da consolidação de um gênero audiovisual propõe um novo e ousado olhar sobre um dos produtos culturais mais presentes nas mídias hoje: o videoclipe. O objetivo é contar a história de consolidação desse audiovisual, tendo em vista três eixos de análise: 1) a formação do estado da arte do videoclipe; 2) a sua consolidação a partir da criação da MTV nos Estados Unidos, em 1981; 3) a consolidação das suas principais convenções narrativas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 64,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 29,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0341-9


ISBN Digital: 978-85-473-2059-1


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 263


Peso: 200 gramas


Largura: 17 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Ariane Diniz Holzbach .

O livro A invenção do videoclipe: a história por trás da consolidação de um gênero audiovisual propõe um novo e ousado olhar sobre um dos produtos culturais mais presentes nas mídias hoje: o videoclipe. O objetivo é contar a história de consolidação desse audiovisual, tendo em vista três eixos de análise: 1) a formação do estado da arte do videoclipe; 2) a sua consolidação a partir da criação da MTV nos Estados Unidos, em 1981; 3) a consolidação das suas principais convenções narrativas. Esses fenômenos são percebidos à luz de uma revisão crítica da bibliografia de referência aliada a uma nova proposta de observação do videoclipe pautada em um olhar que considera simultaneamente as culturas musical e audiovisual. Para construção desse novo olhar, foi feita uma densa pesquisa centrada em três fontes de estudo: todas as matérias da revista Variety que tematizam o videoclipe, publicadas entre 1981 e 1986; a primeira programação da história da MTV, veiculada na madrugada de 1º de agosto de 1981; e todas as edições do Video Music Awards, o VMA, de 1984 a 2014. O livro conclui que, longe de constituir um audiovisual de ruptura que visa exclusivamente à venda, o videoclipe consolidou-se a partir de uma continuidade histórica marcada por reconfigurações tecnológicas nos campos musical e audiovisual. Ele não apenas foi resultado dessas mudanças como ajudou a solucionar diversos problemas enfrentados por várias instâncias culturais, especialmente a indústria fonográfica, as rádios FM, as jukeboxes e o vídeo doméstico. Leitura indispensável para quem tem interesse em cultura pop, audiovisual, história das mídias e, especialmente, na busca pelo conhecimento desprovida de amarras e preconceitos.