Igualdade: Uma Visão Antropológica

Ref: 978-85-473-1336-4

Igualdade: uma visão antropológica propõe discutir a questão do igualitarismo em termos teóricos para depois considerar a aplicabilidade do conceito aos grupos sociais que apresentam um perfil consistentemente igualitário, além de observar como, em termos práticos, o igualitarismo é vivenciado no contexto desses grupos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 64,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 22,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-1336-4


ISBN Digital: 978-85-473-1337-1


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 31/10/2018


Número de páginas: 295


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. José Sávio Leopoldi.

Igualdade: uma visão antropológica propõe discutir a questão do igualitarismo em termos teóricos para depois considerar a aplicabilidade do conceito aos grupos sociais que apresentam um perfil consistentemente igualitário, além de observar como, em termos práticos, o igualitarismo é vivenciado no contexto desses grupos. Considera, também, a ideia da igualdade social que vigora no mundo moderno – em sintonia com a ideologia individualista – e que se mostra impossível de ser praticada, uma vez que a ideologia não explicita nem a natureza daquela igualdade nem as metas concretas a serem atingidas com sua aplicação. Quanto às sociedades caçadoras-coletoras igualitárias, observa-se que elas convivem com um tipo de desigualdade que – baseada nos desempenhos dos indivíduos mais competentes, como os bons líderes e os melhores caçadores – é revertida a favor da comunidade. Tal desigualdade é consentida porque é permitida e controlada pela maioria dos indivíduos, o que legitima os privilégios concedidos àqueles que melhor contribuem para os objetivos da sociedade, sem tirarem proveitos indevidos dessas concessões. Sua submissão às normas é fundamental para a manutenção dessa desigualdade consentida que, por resultar fundamentalmente em benefício da coletividade, pode ser considerada, na verdade, uma “desigualdade positiva”.

As fontes utilizadas foram as mais variadas, já que o texto recobre áreas afins, tendo como referência a questão da igualdade, focalizando as sociedades primitivas – particularmente, grupos de caçadores-coletores–,  mas discutindo também problemas associados que vivenciamos no mundo moderno. “Igualdade” é um tema fundamental no campo antropológico, mas, como a abordagem é ampla, pode interessar também aos estudiosos de Direito, Sociologia, Filosofia, Política e aos que tratam da sociedade em geral. No mundo globalizado da atualidade, a questão da igualdade tem suscitado as mais variadas discussões, como tem acontecido também no Brasil ultimamente, o que pode interessar igualmente a um público não necessariamente acadêmico.