Introdução à Leitura e ao Estudo do Órganon de Aristóteles

Ref: 978-85-473-1749-2

As ideias básicas do Órganon são aqui resumidas tendo como suporte diferentes traduções [Bini, Gomes, e Oxford], além, naturalmente, das edições críticas de Bekker e Ross. Diversos comentários são apresentados em Anexos com o objetivo de detalhar alguns dos temas que nos pareceram relevantes. Segue-se, ao final, um pequeno Glossário que poderá ser de grande utilidade prática por conter algumas acepções mais precisas dos conceitos abordados no texto básico.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 23,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1749-2


ISBN Digital: 978-85-473-1750-8


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 06/11/2018


Número de páginas: 169


Encadernação: Brochura


Peso: 2 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Diogo Eduardo Carneiro de Freitas.

As ideias básicas do Órganon são aqui resumidas tendo como suporte diferentes traduções [Bini, Gomes, e Oxford], além, naturalmente, das edições críticas de Bekker e Ross. Diversos comentários são apresentados em Anexos com o objetivo de detalhar alguns dos temas que nos pareceram relevantes. Segue-se, ao final, um pequeno Glossário que poderá ser de grande utilidade prática por conter algumas acepções mais precisas dos conceitos abordados no texto básico. Ao longo do livro, são colocados em destaque os termos gregos e latinos que se tornaram clássicos na terminologia lógica, além de referências que direcionam para autores consagrados, úteis para aqueles leitores interessados em se lançar a estudos e interpretações mais aprofundados.

Propõe-se, assim, uma leitura facilitada daquele que é considerado um dos mais importantes trabalhos de Aristóteles, o Órganon, geralmente referido como “a Lógica de Aristóteles”, e que ganhou destaque no panorama do pensamento ocidental por apresentar – pela primeira vez, ao que se sabe –, além da estrutura racional do pensamento, pertinentes observações a respeito de sintaxe que só seriam abordadas e desenvolvidas, na forma de gramática, cerca de 200 anos depois por Dionísio, o Trácio.

Neste livro também se encontra sintetizada a Isagoge, clássica introdução às Categorias, atribuída a Porfírio de Tiro, o Fenício.