Arqueologia do Inconsciente: Os Primeiros Escritos de Freud

Ref: c

Ao afirmar que o inconsciente determina os processos psíquicos, Freud instaura uma ruptura definitiva, revolucionando e transformando o modo de pensar do mundo ocidental. Mas Freud sobretudo foi um outro de si mesmo, revisando suas hipóteses quando a clínica exigia e não se limitando às conclusões que ele próprio elaborou, sempre em busca de uma nova forma de pensar.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 57,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 25,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2213-7


ISBN Digital: 978-85-473-2183-3


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 19/11/2018


Número de páginas: 205


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. André Oliveira Costa.

Ao afirmar que o inconsciente determina os processos psíquicos, Freud instaura uma ruptura definitiva, revolucionando e transformando o modo de pensar do mundo ocidental. Mas Freud sobretudo foi um outro de si mesmo, revisando suas hipóteses quando a clínica exigia e não se limitando às conclusões que ele próprio elaborou, sempre em busca de uma nova forma de pensar. Esta arqueologia freudiana do inconsciente apresenta alguns dos processos que, no período de 1891 a 1900, levaram Freud a construir sua metapsicologia, uma via para os saberes do inconsciente. Nesse caminho, foram surgindo lacunas de uma ciência que só consegue ter acesso ao seu próprio objeto de forma encoberta. As cartas trocadas entre Freud e Wilhelm Fliess servirão como documentos fundamentais na construção desses buracos, preenchendo os espaços em branco que aparecem no momento que se investigam as condições de formulação de alguns pressupostos teóricos. Em vez de tratar os materiais biográficos de Freud como documentos históricos, eles são retirados do lugar da memória do passado para estabelecer confrontos, afinidades, paralelos e combinações entre o autor e seu pensamento.