Cultura Afro-Brasileira e Racismo: Reflexões e Práticas a Partir dos Direitos Humanos, Literatura e Questões de Gênero

Ref: 978-85-473-0950-3

O livro Cultura afro-brasileira e racismo: reflexões e práticas a partir dos direitos humanos, literatura e questões de gênero propõe a discussão sobre a cultura afro-brasileira e caminhos para sua introdução nos currículos. Ao mesmo tempo, discute o racismo e a importância de enfrentá-lo por meio de ações educativas e afirmativas. As discussões adotam três eixos centrais: direitos humanos, literatura e gênero.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0950-3


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 27/11/2018


Número de páginas: 221


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Monica Abrantes Galindo.

2. Cláudia Maria Ceneviva Nigro.

3. Ana Maria Klein.

O livro Cultura afro-brasileira e racismo: reflexões e práticas a partir dos direitos humanos, literatura e questões de gênero propõe a discussão sobre a cultura afro-brasileira e caminhos para sua introdução nos currículos. Ao mesmo tempo, discute o racismo e a importância de enfrentá-lo por meio de ações educativas e afirmativas. As discussões adotam três eixos centrais: direitos humanos, literatura e gênero. As discussões relacionadas aos direitos humanos problematizam as cotas raciais em universidades, o racismo institucional e a violência policial cometida contra a população negra, e apresentam dois projetos de extensão universitária que abordam a temática. O eixo de literatura desconstrói a visão hebraico-cristã de Exu, traz a questão do negro nos currículos brasileiros e resgata a memória da população negra quilombola. As questões de gênero discutem a violência institucional contra as mulheres negras, enfocam o racismo sofrido durante a gravidez e no parto, destacam a literatura produzida por mulheres negras como dados importantes para pensar as questões de gênero e raça no Brasil, problematizam o espaço da mulher negra no mundo das ciências por meio de representações acerca da boneca Barbie e apresentam a trajetória acadêmica de mulheres negras norte--americanas que se tornaram cientistas. O livro reúne autores e autoras com diferentes experiências e olhares que contribuem para ampliar as percepções sobre o racismo e a cultura afro-brasileira. Trata-se de uma leitura instigante para todos que se interessam pela questão do negro no Brasil e também por direitos humanos, literatura e gênero.