Valongo: O Mercado de Almas da Praça Carioca

Ref: 978-85-473-2443-8

O livro de Cláudio Honorato sobre o mercado de escravos na região do Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, surge em hora mais que oportuna e vem suprir uma lacuna no conhecimento sobre a história da escravidão africana no Brasil. O funcionamento do complexo escravagista na cidade mais importante no comércio transoceânico de cativos para as Américas no século XIX é analisado a partir de fontes de época, incluindo documentos oficiais, notícias de jornais, relatos de viajantes e iconografia.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 64,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 27,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2443-8


ISBN Digital: 978-85-473-2443-8


Edição: 1


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 11/01/2019


Número de páginas: 187


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Cláudio de Paula Honorato.

O livro de Cláudio Honorato sobre o mercado de escravos na região do Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, surge em hora mais que oportuna e vem suprir uma lacuna no conhecimento sobre a história da escravidão africana no Brasil. O funcionamento do complexo escravagista na cidade mais importante no comércio transoceânico de cativos para as Américas no século XIX é analisado a partir de fontes de época, incluindo documentos oficiais, notícias de jornais, relatos de viajantes e iconografia. A obra tem como foco a região em que se situavam o cais de desembarque, o lazareto onde eram tratados os enfermos da terrível viagem e o cemitério de pretos novos, destino final dos que não sobreviviam à travessia. Apresenta aspectos da história da cidade que cresceu em função de sua conexão com a outra margem do oceano e que era permanentemente transformada pela presença e ação dos africanos escravizados recém-chegados.

Este livro não é apenas sobre o Rio de Janeiro, pois esse espaço relaciona-se com os portos e regiões internas da África, onde embarcaram e de onde eram retirados os cativos. E conecta-se com regiões do Brasil e da América do Sul, que tinham no mercado do Valongo seu centro de abastecimento de mão de obra e ponto de partida para outras rotas da escravidão. E também integra a diáspora africana nas Américas que, a partir desse estudo em escala local, permite ser vista em sua dimensão continental e internacional. O Cais do Valongo, um dos lugares de que trata, recebeu, por essas razões, o reconhecimento como Patrimônio da Humanidade da Unesco.

A escravidão de africanos e africanas e seus descendentes é um dos temas mais sensíveis da história brasileira e imprimiu sua marca de sofrimento e de desigualdade sobre nossa identidade como povo e sobre a nossa ordem social. O trato com rigor histórico e científico das informações coletadas em cuidadosa pesquisa documental faz deste livro uma referência necessária para os estudiosos do tema. O conhecimento que aporta permite avaliar a importância da luta permanente contra os efeitos perversos dessa injustiça histórica.

Monica Lima

Professora de História da África e coordenadora do Laboratório de Estudos Africanos da UFRJ