A Cultura Popular Sertaneja: Literatura, Oralidade e Experiência em Juvenal Galeno

Ref: 978-85-473-2241-0

Como viviam os pobres no sertão do Ceará? Qual o seu imaginário político? Como se divertiam? O que dizia a sua poesia? Esse livro busca responder a essas perguntas, enveredando pela poética de Juvenal Galeno, um desconhecido poeta que viveu a segunda metade do século XIX e primeiras décadas do XX.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 24,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2241-0


ISBN Digital: 978-85-473-2241-0


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 07/03/2019


Número de páginas: 167


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Manoel Carlos Fonseca de Alencar.

Como viviam os pobres no sertão do Ceará? Qual o seu imaginário político? Como se divertiam? O que dizia a sua poesia? Esse livro busca responder a essas perguntas, enveredando pela poética de Juvenal Galeno, um desconhecido poeta que viveu a segunda metade do século XIX e primeiras décadas do XX. Filho de uma das mais ricas famílias da Serra da Aratanha, o escritor residiu por longos anos no interior do Ceará. Ele nutria grande admiração pela poesia do povo, denominando a sua própria criação como popular, de forma que alguns críticos literários e folcloristas chegaram a classificá-lo como um autêntico poeta popular. Uma das mais notáveis particularidades desse intelectual, que viveu em um contexto de visível depreciação cultural do povo pelas elites letradas, é uma escuta generosa e empatia pelas alegrias e tristezas dos homens e mulheres interioranos – sejam estes da serra, do sertão ou das praias – e ter saturado a sua poesia das vozes, pensamentos e sentimentos dos pobres. Essa escrita dialógica faz do Juvenal Galeno um dos poucos escritores brasileiros do século XIX a serem considerados como legítimos mediadores culturais, ou, na classificação de Ángel Rama: um transculturador narrativo.