Conflitos Urbanos em Curitiba

Ref: 978-85-473-2600-5

Ruas do Centro amanhecem pichadas em protesto. Moradores bloqueiam rodovia obrigando motoristas a ver precariedade em bairros de Colombo. Classe média de Curitiba faz da Praça Espanha seu lugar de protesto. Frequentadores de bar fazem manifestação a favor da Quadra Cultural. Famílias dormem na rua em protesto contra Cohab. Contorno Leste é liberado após 1h30 de interdição por protesto. Protesto em frente à Cohab reivindica desapropriação de terreno no Sabará. Manifestação em Curitiba reúne cerca de 10 mil pessoas. Não fossem os nomes de bairros, praças, ruas, eventos ou cidades que particularizam essas manchetes, seus textos e as imagens a que remetem seriam universais. Os conflitos não são apenas fenômenos recorrentes em quase todas as formações sociais, como são objetos de estudo destacados nas ciências sociais, seja como chave de interpretação das sociedades, seja como disfunção sistêmica. Conflitos que, apesar de não se encerrarem em protestos e manifestações, nestes têm uma forma de expressão empírica.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 57,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 25,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2600-5


ISBN Digital: 978-85-473-2600-5


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 22/04/2019


Número de páginas: 199


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Simone Aparecida Polli.

2. José Ricardo Vargas de Faria.

3. Maurini de Souza.

4. Ramon José Gusso.

Ruas do Centro amanhecem pichadas em protesto. Moradores bloqueiam rodovia obrigando motoristas a ver precariedade em bairros de Colombo. Classe média de Curitiba faz da Praça Espanha seu lugar de protesto. Frequentadores de bar fazem manifestação a favor da Quadra Cultural. Famílias dormem na rua em protesto contra Cohab. Contorno Leste é liberado após 1h30 de interdição por protesto. Protesto em frente à Cohab reivindica desapropriação de terreno no Sabará. Manifestação em Curitiba reúne cerca de 10 mil pessoas. Não fossem os nomes de bairros, praças, ruas, eventos ou cidades que particularizam essas manchetes, seus textos e as imagens a que remetem seriam universais. Os conflitos não são apenas fenômenos recorrentes em quase todas as formações sociais, como são objetos de estudo destacados nas ciências sociais, seja como chave de interpretação das sociedades, seja como disfunção sistêmica. Conflitos que, apesar de não se encerrarem em protestos e manifestações, nestes têm uma forma de expressão empírica. Este livro procura aprofundar a compreensão sobre as condições materiais e os processos políticos que incitam conflitos urbanos e, mais especificamente, iluminar a dimensão conflitiva do processo de produção da Metrópole de Curitiba. Busca identificar os conflitos, compreender quais são seus desdobramentos e as relações que estabelecem com as transformações nas cidades e na política urbana, quem são seus agentes, quais objetos reivindicam, como se distribuem espacial e temporalmente e quais são os repertórios de manifestação. Os dados são obtidos nos principais canais de notícias de Curitiba, além da complementação de informações em blogs, redes sociais, observações e pesquisa in loco. Os trabalhos apresentados neste livro expressam parte da reflexão desenvolvida no Observatório de Conflitos Urbanos de Curitiba.