Dicionário Geotécnico de Barragens: Português - Inglês

Ref: 978-85-473-2643-2

O Dicionário Geotécnico de Barragens – Português/Inglês é um glossário contemporâneo com cerca de 10.000 palavras, expressões e termos utilizados com frequência na Geotecnia, principalmente na Engenharia de Barragens. Permite a consulta do termo em inglês e português para auxiliar na tradução de projetos, manuais técnicos, apresentações, relatórios e afins, com termos abrangentes às áreas técnicas e científicas. A abrangência refere-se às barragens de acumulação de água para abastecimento, produção e geração de energia elétrica, bem como barragens de mineração, diques e todas as estruturas auxiliares.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2643-2


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 27/05/2019


Número de páginas: 151


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Rafaela Baldi Fernandes.

O Dicionário Geotécnico de Barragens – Português/Inglês é um glossário contemporâneo com cerca de 10.000 palavras, expressões e termos utilizados com frequência na Geotecnia, principalmente na Engenharia de Barragens. Permite a consulta do termo em inglês e português para auxiliar na tradução de projetos, manuais técnicos, apresentações, relatórios e afins, com termos abrangentes às áreas técnicas e científicas. A abrangência refere-se às barragens de acumulação de água para abastecimento, produção e geração de energia elétrica, bem como barragens de mineração, diques e todas as estruturas auxiliares.
Os dicionários remontam aos tempos antigos. Acredita-se que tenham se originado na Mesopotâmia por volta de 2.600 a.C.; feitos em tabletes de escrita cuneiforme, informando repertórios de signos, nomes de profissões, divindades e objetos usuais, e funcionavam como dicionários unilíngues. Os gregos no século I criaram os lexicons para catalogar os usos das palavras da língua grega. Os gregos e os romanos já os utilizavam para esclarecimentos de dúvidas, termos e conceitos. Todavia não eram organizados em ordem alfabética. Limitavam-se às definições de termos linguísticos ou literários. Foi somente no fim da Idade Média que houve o surgimento de dicionários e glossários organizados alfabeticamente. Quando as glosas desses manuscritos latinos tornaram-se numerosas, os monges as ordenaram alfabeticamente para facilitar a localização. Com isso, surgiu uma primeira tentativa de dicionário bilíngue latim-vernáculo. Com o advento da imprensa, no século XV, alavancou-se a difusão e o uso de novos dicionários. O estilo de dicionário que usamos atualmente foi incorporado no renascimento com o objetivo de traduzir as línguas clássicas para as modernas, em função da bíblia.