Queixas, Denúncias e Conciliações: Um Estudo sobre a Violência de Gênero

Ref: 978-85-473-2915-0

A análise da violência contra a mulher apresentada e discutida em Queixas denúncias e conciliações: um estudo sobre violência de gênero assume o gênero como categoria de análise para tentar compreendê-la. Resultado de relações assimétricas em função das desigualdades de gênero e, portanto, distinta de outras formas de violência. Enquanto fenômeno social, resiste ao tempo e assume novas configurações e formas de ação, envolvendo os aspectos, físicos, psicológicos, sexuais morais e patrimoniais. Constrói-se a partir de relações de poder e submissão envolvendo contextos de dependência, isolamento, intimidação e medo. Considerando ainda os marcadores de raça, classe, idade, território, dentre outros, a violência de gênero pode assumir dimensões distintas.A violência no âmbito das relações conjugais, uma das formas da violência de gênero, aprofundada no presente estudo, apresenta complexidade ainda maior, pois ao se expressar, principalmente, no ambiente familiar e no interior das relações de intimidade e de afeto, foi naturalizada e historicamente tratada como uma questão cotidiana da vida privada compreendendo somente os envolvidos diretamente. Ao questionar as noções culturais de família, o movimento feminista tenciona a visão dessa instituição como pertencente ao espaço do privado, colocando em questão sua estrutura ancorada na autoridade masculina e submissão feminina. A Lei nº 11.340/96, intitulada de Lei Maria da Penha, apresenta mudanças significativas ao introduzir inovações no trato da violência doméstica, propondo uma nova forma de lidar legalmente com os conflitos interpessoais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2915-0


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 28/05/2019


Número de páginas: 175


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Antônia Eudivânia de Oliveira Silva.

2. Francisca Maria da Silva Barbosa .

3. Tatiane Bantim da Cruz.

4. Iara Maria de Araújo.

A análise da violência contra a mulher apresentada e discutida em Queixas denúncias e conciliações: um estudo sobre violência de gênero assume o gênero como categoria de análise para tentar compreendê-la. Resultado de relações assimétricas em função das desigualdades de gênero e, portanto, distinta de outras formas de violência. Enquanto fenômeno social, resiste ao tempo e assume novas configurações e formas de ação, envolvendo os aspectos, físicos, psicológicos, sexuais morais e patrimoniais. Constrói-se a partir de relações de poder e submissão envolvendo contextos de dependência, isolamento, intimidação e medo. Considerando ainda os marcadores de raça, classe, idade, território, dentre outros, a violência de gênero pode assumir dimensões distintas.
A violência no âmbito das relações conjugais, uma das formas da violência de gênero, aprofundada no presente estudo, apresenta complexidade ainda maior, pois ao se expressar, principalmente, no ambiente familiar e no interior das relações de intimidade e de afeto, foi naturalizada e historicamente tratada como uma questão cotidiana da vida privada compreendendo somente os envolvidos diretamente. Ao questionar as noções culturais de família, o movimento feminista tenciona a visão dessa instituição como pertencente ao espaço do privado, colocando em questão sua estrutura ancorada na autoridade masculina e submissão feminina. A Lei nº 11.340/96, intitulada de Lei Maria da Penha, apresenta mudanças significativas ao introduzir inovações no trato da violência doméstica, propondo uma nova forma de lidar legalmente com os conflitos interpessoais.